Pinda mantém valor de subsídios de vereadores para próximo mandato

Votação impede elevação de ganhos para novos parlamentares, fixado em R$ 9,6 mil, o mesmo da atual legislatura

Os vereadores no plenário, que discutiu o aumento do subsídio em Pinda; valores mantidos (Foto: Bruna Silva)

Bruna Silva
Pindamonhangaba 

Na primeira sessão de Câmara após as eleições municipais, os vereadores de Pindamonhangaba decidiram manter os subsídios para o próximo ano. Apenas dois parlamentares devem continuar na Casa e nove novos nomes passarão a fazer parte do Legislativo em janeiro.

O projeto de lei do presidente da Câmara, Felipe César (PV), previu a manutenção dos ganhos para a legislatura 2021-2024. Antes da votação, o presidente reforçou que há seis anos o subsídio segue congelado e assim deve permanecer. A aprovação foi unanime entre os presentes. Somente o vereador Jânio Ardito (PP) não participou da sessão.

O momento contou ainda com tom de despedida para os vereadores Roderley Mioto (PODE), Rafael Goffi (PSDB), Jorge da Farmácia (PV), Toninho da Farmácia (PV) e Gislene Cardoso (PODE). Além Ronaldo Pipas (DEM) que enfatizou ser o sexto mais votado, no último domingo (15). “Não sei qual vai ser o futuro dessa Casa”.

Diálogo – Nesta semana, o prefeito Isael Domingues (PL) se reuniu com a nova legislatura para discutir os projetos para o próximo ano. Recentemente, Domingues afirmou que deve buscar diálogo com a Câmara renovada para o desenvolvimento da cidade. Na reunião, estiveram presentes os vereadores Regininha (PL), Cal (Republicanos), Gilson Nagrin (PP), Julinho Car (PODE), Marcos Mayor (PSDB), Norberto (PP), Rogério Ramos (PODE), Vela (PT) e os reeleitos Carlos Magrão e Renato Cebola. O vereador eleito Felipe Guimarães (PODE) não compareceu por compromissos profissionais.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?