Mobilidade Urbana estuda ampliar segurança, após morte de ciclista em Guará

Fiscalização e melhorias para ciclovias são analisadas por setor; em seis meses, dois ciclistas morreram no mesmo local

Acidente registrado em Guaratinguetá; setor busca por fiscalização e melhorias em ciclofaixas (Foto: Reprodução)

Da Redação
Guaratinguetá

Dois acidentes com vítimas fatais acenderam o sinal de alerta para os ciclistas de Guaratinguetá. Após a morte de um homem de 49 anos, que pedalava pela ciclovia da avenida João Pessoa, a secretaria de Mobilidade Urbana confirmou que estuda mudanças e investimento na segurança da malha cicloviária do município.

O último acidente foi registrado foi em 9 de junho. Dois ciclistas foram atingidos por um carro, que seguia sentido Centro. O homem e a mulher que pedalavam sentido Pedregulho conduziam pela ciclovia, foram atingidos pelo veículo e ficaram no chão. O homem não resistiu e morreu.

No mesmo local, em 21 de dezembro do ano passado, uma mulher de 50 anos que pedalava pela mesma ciclovia foi atingida por um motoqueiro que trabalhava entregando pizzas. O motociclista tentou uma ultrapassagem proibida pela direita quando acertou a mulher. Ela foi socorrida, mas não suportou os ferimentos e morreu.

O entroncamento entre as avenidas João Pessoa e Presidente Vargas preocupa a secretaria de Mobilidade Urbana. O secretário Marco Antônio ‘Major’ de Oliveira, confirmou que o Município tem uma verba de R$ 2,5 milhões, obtida por meio do programa Respeito a Vida, convênio com o Governo do Estado, para investir em melhorias e segurança do trânsito.

O valor será injetado em novas sinalizações de solo e asfalto novo para ciclovias do município, entre elas as vias da João Pessoa e da avenida Ministro Salgado Filho. “Há pretensão de fazer um estudo de verificação de possibilidade de colocar uma barreira na ciclofaixa e na avenida, para ter mais segurança. Isso está sendo estudado pelo nosso setor de engenharia de tráfego”, destacou o secretário.

A barreira não evitaria uma possível colisão de carro ou moto que invadam o espaço da ciclovia, como nos dois casos registrados com vítimas fatais, mas aumentaria a segurança do ciclista em casos de queda. “A preocupação é constante. Essas ideias e o programa Respeito à Vida vem para complementar a segurança”, informou Oliveira.

As melhorias citadas pelo secretário podem começar em 45 dias. Ele negou que seja instalado um radar na avenida João Pessoa, após os dois acidentes, e confirmou que a fiscalização na região aumentou após a última colisão entre carro e bicicletas.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?