Apesar de queda de assassinatos, região segue como a mais violenta do interior

Cruzeiro e Pinda enfrentam aumento de mortes e buscam saídas para combate a homicídios; Guará e Lorena registram queda de casos

Sede da Polícia Militar em Cruzeiro; região segue como a mais violenta com aumento de mortes (Foto: Rafaela Lourenço)

Lucas Barbosa
RMVale

Mais violenta do estado, a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) registrou entre janeiro e novembro a média de uma vítima de assassinato por dia. Enquanto Pindamonhangaba teve um aumento preocupante de casos, Guaratinguetá e Lorena contabilizaram quedas consideráveis no período.

De acordo com dados da secretaria de Segurança Pública do Estado, a RMVale teve até novembro 316 moradores mortos de forma violenta, sendo 305 vítimas de homicídio doloso (quando existe a intenção de matar) e 11 de latrocínio (roubo seguido de morte). O montante é 0,30% inferior ao da mesma época do ano passado, que foi de 316, sendo 309 homicídios dolosos e oito latrocínios.

Já no comparativo apenas entre os meses de novembro de 2020 e 2021, a região registrou neste ano uma queda de 36% de vítimas fatais, passando de 41 para 26.

Atrás apenas de Taubaté e de São José dos Campos, que tiveram respectivamente 46 e 45 casos, Cruzeiro segue como a terceira cidade mais violenta da região nos primeiros 11 meses deste ano. Com 35 mortos, o município contabiliza um aumento de 9% em comparação ao mesmo período de 2020, quando 32 moradores foram assassinados.

Quarta cidade mais violenta da RMVale, Pinda registrou um aumento preocupante de 40% de casos em relação ao ano passado, saltando de 22 para 31 mortes violentas. Um dos assassinatos que mais chocaram as famílias do município, ocorreu em 4 de outubro na estrada municipal Fazenda do Tanque. Na ocasião, um trabalhador rural encontrou, pela manhã, o corpo de um homem de 35 anos, que foi cortado ao meio durante a madrugada. Através de golpes de facão, a vítima teve o tronco separado das pernas. Dois dias após o caso, a Polícia Civil prendeu o autor do crime, que estava escondido num imóvel abandonado na avenida Nossa Senhora do Bom Sucesso, no bairro Alto do Cardoso. A investigação concluiu que o homem matou o desafeto durante uma briga num outro ponto da zona rural e que carregou o corpo num carrinho de obras, por cerca de 15 quilômetros, até a estrada da Fazenda do Tanque.

Alívio – Enquanto os moradores de diversos municípios da região convivem com o aumento da violência, as autoridades em Segurança e famílias de Lorena e Guaratinguetá têm motivos para comemorar.

Considerada por anos como a cidade proporcionalmente mais violenta do estado, Lorena teve entre janeiro e novembro de 2021 uma redução de 23% no número de vítimas de assassinato em comparação ao ano passado. Já Guará, registrou uma queda ainda mais acentuada no período, atingindo o índice de diminuição em 32%, após cair de 25 para 17 mortes violentas.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?