Política a conta-gotas…

Primeira, segunda ou…

Junior Filippo

…terceira via? Que pelo menos cinco candidaturas deverão disputar a vaga de Marcus Soliva nas eleições de 2024, todos sabem, mas as apostas no mercado político de Guará são para definir qual será a indicada pelo gabinete do prefeito como primeira via. Entre Dani Dias, Regis Yasumura, Miguel Sampaio e João Vaz, poderá sair o nome, ou quem sabe uma dupla que deverá enfrentar Junior Filippo, já considerado pelos politiqueiros da Praça como segunda via. São os outros nomes Edison Riccomi, João Pita, Paulo Rone, Cabo Samuel, Guilherme Gigli e a revelação da temporada, a empresária Renata Helena, da Mega Farma!

 

Sintonia fina
Com o prefeito Isael Domingues saindo de cena temporariamente para cuidar da saúde, a rotina da Prefeitura de Pindamonhangaba continuou a mesma, ou seja, entre a equipe de governo, cada um na sua e o trabalho para todos, sob o comando de Ricardo Piorino, é claro. De acordo com a patuleia, o vice manteve o ritmo dividindo a atenção com as obras, liberando novos projetos no planejamento, cuidando das finanças com olhar afinado nas secretarias e, além de manter o atendimento público, agitou o mercado político discutindo a formação de grupos, com vistas a 2024.

 

Um passo atrás

Roderley Miotto

Com olhar no futuro, rola pelos corredores da Prefeitura de Pinda que o secretário de Desenvolvimento Econômico, Roderley Miotto, demonstra ter declinado para o vice Ricardo Piorino seu sonho em disputar a sucessão de Isael Domingues. Segundo os bem informados no Paço Municipal, a conta é simples: “melhor é garantir uma secretaria no futuro governo, que fazer parte do quadro de viúvas políticas da praça, a partir de 2025”. Perguntem ao ‘guru’ João Carlos!!!

 

 

 

Prêmio de consolação
É voz corrente pelos balcões de Moreira Cesar que o subprefeito Nilson Luiz, mesmo contando com a simpatia pessoal do prefeito Isael Domingues, vai ter de se contentar com a certeza de uma legenda para concorrer a vereador nas municipais que se aproximam. Mesmo assim, a contragosto do Magrão, do Cal e outros parlamentares que ‘beliscam votos’ no Distrito. Para ser vice, ainda falta a Nilson muita musculatura política…

 

Missão quase possível
A julgar pelo diagnóstico do pessoal do Mercadão, o novo presidente da Câmara de Pinda, Norbertinho Moraes, vai ter uma missão quase impossível no próximo biênio: elevar o índice de aprovação do Legislativo perante a população. Segundo a ‘boca pequena’, o maior entrave é a própria composição de sua mesa administrativa: de um lado, um ’freio de mão puxado’, do outro, um ‘gavião ameaçador’, na contra regra, um ‘oportunista´ que dissimula. Perguntem ao Magrão, que está assistindo os acontecimentos a distância…

 

Telescópio
Ano Novo, velha política. Em Lorena, alguns nomes já manjados pelos politiqueiros do pedaço já estão acenando aos eleitores com ares de prefeituráveis, definindo a lista de concorrentes à reeleição do prefeito Sylvio Ballerini. O índio Munduruku já está ‘se pintando para guerra’ – através de seus vídeos; disseram que Marietta Bartelega está incomodada com as aparições da concorrente Rita Marton. Parece que o Cel Quintino aguarda apenas o resultado da posse no Planalto para acertar sua pré-campanha; na cozinha do PT, indefinição de ‘quem será’. Será? Fábio Marcondes anuncia que a definição de seu provável vice só vai acontecer na reta final, sinalizando que Lescura poderá seguir carreira solo.

 

Segunda chamada
Ainda sobre o futuro cenário eleitoral de Lorena, outros nomes bem conhecidos também são vistos como produtos de vitrine numa eventual composição para vice. Vagner da Silva – o Vaguinho, configurando uma utopia política, já deu pista que pretende ser o parceiro de majoritária de Sylvio Ballerini e, dizem que ele não é o único na fila de candidatos dispostos a substituir Humberto Ballerini. Fábio Longuinho mantém seu grupo de postulantes ao Legislativo com um exército de apoiadores provenientes de vários seguimentos da cidade – tem afinidade com Marietta, mas pode surpreender dobrando com outro nome tido como improvável. Os vereadores Roberto Bastos – o Totô – e Galão Aquino – articulador, e Fábio Marcondes, podem compor chapa majoritária com Major Lescura ou até mesmo garantir vaga na futura Câmara.

 

Missão dada, missão…
…cumprida O presidente da Codesg – Companhia de Desenvolvimento de Guaratinguetá, João Vaz, bateu novo recorde em sua missão frente a autarquia. Esta semana, que passou pela área central ficou surpreso com a fachada do Mercado em fase final de obra. A revitalização do local era uma espécie de ‘calcanhar de Aquiles’ da administração Soliva pela morosidade da execução, pela retenção, dos recursos do Dade.

 

Salvação da lavoura

Gu Castro

E mais uma vez neste ano, o presidente da Câmara de Aparecida, Gu Castro, ‘salvou a pele’, digo, as finanças do prefeito Luiz Carlos de Siqueira – o Piriquito. Quando o chefe do Executivo não sabia o que fazer para quitar a folha de pagamento da Prefeitura, Gu anuncia a devolução da economia do duodécimo, na ordem de R$ 1,5 milhão. Ufa! Que sufoco…

 

Mineiro rasga o verbo: “Sou prefeito, não mágico”

Mineiro aposta na Estação Ferroviária para atrair recursos no turismo

O ano em Cachoeira Paulista termina com o sentimento de que o “monstro do desgoverno de Mota”, que prejudicou o trabalho de Antônio Mineiro nos dois primeiros anos de administração, está bem mais fraco. Na última quinta-feira, o prefeito participou do Atos no Rádio e contou que, mesmo com muito a fazer, o cachoeirense pode comemorar conquistas importantes, como a redução do rombo deixado pelo antecessor, Edson Mota. Pelo menos R$ 22 milhões, dos R$ 94 milhões da dívida de Mota, foram pagos por Mineiro, que ainda conseguiu arrecadar ao ponto de garantir um orçamento de R$ 124 milhões para o próximo ano e gerar expectativas com a Estação, Teatro Municipal e gestão de obras, só possíveis com a recuperação da CND.

 

 

 

 

Sylvinho aposta em saúde, zeladoria e obras

Sylvinho fala das novas secretarias e substituições de nomes no governo para viabilizar o processo de reeleição, no Atos no Rádio

O prefeito de Lorena, Sylvio Ballerini, disse que 2022 foi um ano de muito trabalho e de soluções de problemas herdados da administração anterior. Em conversa no estúdio do Atos no Rádio, Sylvinho citou várias obras em andamento como áreas de lazer, creches e pavimentação. E lembrou que quando assumiu a prefeitura, recebeu 60 obras a serem concluídas, com problemas judiciais, e que vai regularizar e terminar todas elas. O prefeito também avaliou como positivo o início do governo itinerante nos bairros, que vai revitalizar todas as regiões, e a readequação salarial dos servidores municipais. Ballerini disse que os investimentos na Santa Casa e na rede municipal serão um ponto alto da  atenção com a saúde pública.

 

 

 

 

Governabilidade, candidatura e estratégia

Fábio Longuinho enfatiza que não concorrerá mais à Câmara, e deixa clara sua intenção de somar em uma majoritária

Fechar um biênio marcado por arranhões políticos, mas comemorar resultados importantes e injeção de R$ 3,6 milhões com emendas impositivas. O trabalho político e a parceria de ações entre poderes são os destaques apontados pelo presidente da Câmara de Lorena, Fábio Longuinho, para garantir um bom ano e gerar expectativas para 2023. A missão é gerir uma Casa, já subdividida entre os grupos que focam 2024, mas que garantam ao Executivo um dos braços para a mão de obra político-administrativa. Sobre a nova sede do Legislativo, Longuinho não descarta a possibilidade de recorrer à parceria público-privada para conseguir a construção até o final de seu mandato.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?