Retomada de Hospital Campanha entra em fase final em Lorena

Ação amplia leitos de estabilização na Santa Casa; cidade registra aumento de casos de Covid-19 e tem 49 mortes

Estrutura do Hospital de Campanha para atender pacientes de Covid-19, em Lorena (Foto: Divulgação Santa Casa)

Da Redação
Lorena

Enfrentando um aumento na demanda de atendimentos de infectados pelo novo coronavírus (Covid-19), a Santa Casa de Lorena revelou na manhã desta quinta-feira (14) que pretende concluir até o fim desta semana a reimplantação do Hospital Campanha. A remontagem da unidade ampliará o número de leitos de estabilização para vítimas da pandemia no município.

De acordo com a gerente de enfermagem da Santa Casa de Lorena, Elaine Virgínio, está em fase final a montagem da estrutura, que conta com o apoio do 5º BIL (Batalhão de Infantaria Leve) e servirá como porta de entrada para o atendimento de moradores com suspeita ou diagnosticados com a Covid-19.

No local, os pacientes serão atendidos por médicos que avaliarão a necessidade de internação, exames ou se os assistidos devem permanecer em isolamento domiciliar.

O Hospital de Campanha contará com três leitos de estabilização, equipados com aparelhos de suporte de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), e um leito pediátrico. A estrutura oferecerá também um amplo espaço de espera para os pacientes. “A montagem está em andamento desde quarta-feira (13), quando recebemos as barracas do Exército.  Não foi possível concluir ontem as demais ações de infraestrutura devido às fortes chuvas, então elas foram iniciadas pela manhã desta quinta-feira. Assim que concluirmos as instalações, o atendimento começará, provavelmente, até o fim desta semana”, explicou Elaine.

5º Bil disponibiliza tendas e auxilia na montagem da estrutura; espaço organizado no estacionamento do hospital (Foto: Divulgação Santa Casa)

A gerente de enfermagem destacou ainda a importância do aparelho público. “Ele permitirá que melhoremos o fluxo de atendimento na ‘porta de entrada’ garantindo um maior conforto aos pacientes e também mais segurança técnica a equipe assistencial. É fundamental que a população compreenda que diante de sintomas leves da doença deve manter o isolamento social, procurando o atendimento médico hospitalar apenas diante de sintomas persistentes de febre e falta de ar”.

A primeira montagem do Hospital Campanha ocorreu em julho de 2020, já a desmontagem foi realizada em novembro, após uma queda na demanda de atendimentos.

A reimplantação da unidade foi comemorada pela população, que presencia desde o início do ano um aumento de casos da doença, gerando um crescimento na demanda de internações.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Lorena no fim da tarde desta quinta-feira, 11 dos 15 leitos de UTI da Santa Casa abrigam pacientes, representando uma taxa de ocupação de 73%. Já nos leitos de estabilização clínica, que totalizam 38, estão ocupados 26, atingindo um índice de 68%.

Já o número de infectados no município, desde o início da pandemia, é de 2.259, sendo 49 mortos, 2.125 recuperados, 41 em isolamento domiciliar e 47 internados na Santa Casa e Hospital Unimed (15 na UTI e 32 na enfermaria).

Vacinação – Aguardando a possível chegada do primeiro lote de vacinas contra a Covid-19, a Prefeitura de Lorena revelou no último dia 9 detalhes sobre o plano de imunização na cidade.

Em um vídeo publicado na página oficial da Prefeitura na rede social Facebook, o secretário de Saúde, Antônio Carlos Fabreti, afirmou que na última semana participou de uma reunião com representantes da Vigilância Sanitária do Estado na sede do DRS (Departamento Regional de Saúde) em Taubaté. Na ocasião, os membros do órgão apresentaram o cronograma de vacinação que deverá ser seguido pelo Munícipio.

De acordo com Fabreti, caso a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprove até o fim desta semana o uso emergencial das vacinas CoronaVac e Oxford/AstraZeneca, a aplicação em Lorena deverá iniciar no próximo dia 25. O primeiro grupo imunizado será os profissionais da saúde, que receberão a segunda dose em 15 de fevereiro. Na sequência, será a vez dos idosos em 8 de março.

Já as datas de vacinação dos demais grupos deverão ser divulgadas até o fim da próxima semana.

Além de cobrar mais conscientização da população sobre os riscos da doença, Fabreti relatou no vídeo que houve um aumento considerável na demanda de atendimentos de Covid-19 em Lorena neste início de ano, possivelmente motivado pelo desrespeito de parte dos moradores às medidas de prevenção ao contágio, principalmente durante as festividades de Natal e Réveillon.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?