Vereador denuncia condição de computadores em Lavrinhas, mas Prefeitura nega irregularidade

Controversas entre administração e parlamentar motiva investigação da Polícia Federal; secretário questiona ação de denunciante

Sede da Prefeitura de Lavrinhas; vereador denuncia armazenamento de computadores e Administração nega (Foto: Arquivo Atos)

Thamiris Silva
Lavrinhas

Lavrinhas inicia o mês de março com polêmicas, após o vereador Danilo Denis Paulino (PSD), o Danilo Nu, denunciar uma suposta irregularidade na preservação de computadores localizados almoxarifado da Prefeitura. O parlamentar chegou a fazer um boletim de ocorrência no último dia 8. O processo segue em investigação pela Policia Federal.

Atendendo uma queixa sobre armazenamentos incorretos de computadores na sede do Executivo, o vereador foi até o prédio destinado a guardar equipamentos, localizado em frente à Prefeitura. Sua entrada foi barrada pelo secretário da Agricultura, Ismael Siqueira. “Eu tive a denúncia de um munícipe, onde eu fui fiscalizar. O secretário presente, que poderia estar me acompanhado, falou que o advogado o orientou que eu não poderia estar fiscalizando”, criticou o denunciante.

Em resposta à versão de Danilo Nu, a Prefeitura informou que em nenhum momento a entrada dele foi obstruída e que a medida tomada em buscar a Polícia Militar foi desnecessária.

A reportagem do Jornal Atos procurou a Prefeitura para abordar a denúncia. Representantes do Gabinete, Administração ou do setor de almoxarifado não foram encontrados ou preferiram não responder os questionamentos. O secretário da Agricultura foi o único do primeiro escalão a responder ao Atos. Ismael Siqueira afirmou que o único motivo do vereador não conseguir entrar na sala no momento da fiscalização foi o desencontro com o secretario de Transporte Fabio Sant’Anna Dias, que estava em uma viagem pessoal a São José dos Campos.

Segundo Danilo Nu, com a presença da polícia, após o retorno da delegacia, ele conseguiu entrar e encontrou 12 computadores. “Primeiro chamei a polícia para poder me acompanhar. Nós fomos à delegacia e foi quando o delegado e o advogado orientaram a fiscalização”, contou.

Em uma segunda versão dos fatos, o secretário conta que o vereador foi sozinho até a delegacia. “Quando ele (Danilo Nu) voltou, o secretário nosso chegou e franquiou à entrada”, relatou Ismael Siqueira.

A Prefeitura informou que os computadores foram adquiridos na gestão passada e estão no almoxarifado pelas condições de uso, por serem ultrapassados e que aguardam um leilão. “La é um almoxarifado, onde a gente coloca os equipamentos que estão parados… É um galpão em um prédio em frente à Prefeitura”, detalhou a diretora de Patrimônio Daiane Fagundes, que não informou a possibilidade de um leilão para este ano.

Além dos desentendimentos sobre a entrada do vereador ao almoxarifado, a existência de um possível boletim de ocorrência também paira sobre a discussão. “Até onde eu sei, não teve nenhum boletim de ocorrência”, frisou Siqueira. Já o vereador Danilo, questionado pela reportagem do Jornal Atos, afirmou que realizou o boletim.

Com o processo de denúncia do vereador, a Policia Federal foi até ao almoxarifado da Prefeitura, no último dia 9, para verificar o armazenamento dos computadores e segue apurando a ação da administração sobre o direcionamento correto destes equipamentos.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?