Flexibilização do Plano São Paulo divide cidades na RMVale

Após informar que contava com ação regional, Soliva mantém Guará na fase laranja, mas vê vizinhas avançarem para amarela

Movimento no Centro de Guará; cidade que foi mantida na fase laranja pelo prefeito Marcus Soliva (Foto: Marcelo A dos Santos)

Da Redação
RMVale

A decisão do Estado em avançar a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) para a fase amarela dentro do Plano São Paulo gerou controvérsia entre os prefeitos da região. Entre os 39 municípios, nem todos seguiram a medida do governador João Doria (PSDB), decidindo seguir com flexibilização restritiva da fase laranja.

Com a entrada na fase amarela, negócios como restaurantes, bares e academias podem voltar a funcionar na região, que chegou a 23.786 casos positivos e 731 mortes nesta terça-feira (12).

A última semana foi marcada por ações em diversas direções quanto ao posicionamento das prefeituras.

Em reunião do Codivap (Consórcio de Desenvolvimento Integrado do Vale do Paraíba), na última semana de julho, um grupo de prefeitos entrou em embate devido a um posicionamento liderado pelo prefeito de São José dos Campos, Felício Ramuth (PSDB), que tentava antecipar o avanço para a fase amarela para toda a RMVale, argumentando que os números do Estado referente à região continha erros, o que foi negado pelo governo Doria. Ramuth foi rebatido pelos prefeitos de Guará, Marcus Soliva (PSC), de Cruzeiro, Thales Gabriel Fonseca (PSD) e Lorena, Fábio Marcondes (sem partido), que decidiram seguir com seus municípios na fase laranja, medida que foi acompanhada por outras cidades, como Pindamonhangaba, que acaba de ultrapassar os mil casos confirmados.

Mas agora, com a nova determinação de Doria, algumas cidade decidiram mudar de discurso.

São José dos Campos continua liderando o grupo de municípios que se colocou a favor do enquadramento da RMVale na fase amarela. Já entre os prefeitos que se opuseram à ação no Codivap, Marcus Soliva (PSC) havia mantido o posicionamento em Guaratinguetá.

A única mudança será no horário comercial. Os estabelecimento que já estavam liberados passaram a ficar a atender das 12h às 18h, de segunda a quinta-feira. Os escritórios de prestação de serviços em geral e as imobiliárias funcionarão nos mesmos dias das 8h às 14h. A Prefeitura destacou que “continua tomando todas as medidas necessárias no combate ao coronavírus e analisando diariamente o quadro de contaminação no município, podendo ampliar ou restringir a flexibilização na próxima quinta-feira (13)”.

Com atuais 832 casos confirmados, o prefeito chegou a afirmar em nota, na última sexta-feira (7), que contava com o apoio dos vizinhos para manter as medidas de restrições na fase laranja. “Devido à evolução do número de casos de contaminação de coronavírus nos últimos dias, bem como o aumento da ocupação de leitos de enfermaria e UTI nos hospitais, Guaratinguetá, Lorena, Cruzeiro e Piquete decidiram permanecer na fase laranja do Plano SP, denominada fase 2 (trecho da nota)”.

Mas Soliva não conta com o apoio esperado. Em Cruzeiro, o prefeito Thales Gabriel (Solidariedade) liberou as atividade que engloba a fase amarela. De acordo com o novo decreto, os setores de alimentação poderão funcionar de segunda a sexta-feira, com duas opções: seis horas corridas ou dois turnos de três horas. A informação deverá estar fixada na entrada do estabelecimento.

Os estabelecimentos não poderão funcionar após às 17h. As restrições de medidas contra a Covid-19, como espaçamento entre clientes, higienização e disponibilização de álcool em gel 70%, limitação no número de pessoas e o uso obrigatório de máscaras, seguem valendo.

O calçadão de Lorena; um dos municípios que mudou de opinião após decreto estadual e avançou para fase 3 (Foto: Rafaela Lourenço)

A medida que impede o atendimento presencial aos finais de semana foi ampliada para os supermercados, que poderão atuar por meio de delivery aos sábados e domingos. Até esta terça-feira, Cruzeiro conta com 348 infectados, 17 mortos e 202 recuperados.

Lorena – Outro prefeito que não segue mais as medidas de Guaratinguetá é Fábio Marcondes (sem partido). A Prefeitura divulgou nesta terça-feira que Lorena avançou para a fase 3 (amarela) no Plano São Paulo.

Na cidade, que já registrou 503 confirmações, 18 óbitos e 393 recuperados, a abertura de serviços como restaurantes, bares, lanchonetes, academias e centros de ginástica já foi liberada. O novo decreto também autoriza a venda e comercialização de todos os produtos (alimentícios e comércio em geral) nas feiras livres do município, desde que autorizadas por alvará de funcionamento, mas não incluiu a feira da barganha, realizada aos domingos. Os protocolos de abertura e mais detalhes sobre a fase amarela foram publicados no site da Prefeitura, o lorena.sp.gov.com.br

Em Piquete, a prefeita Ana Maria de Gouvêa (PSB) já havia publicado um decreto estendendo a quarentena na cidade ao menos até o próximo dia 16, mantendo as mesmas condições do decreto de 20 de julho, quando a cidade se manteve na fase laranja. Ela destacou que a Prefeitura está analisando as condições estruturais da cidade, que tem 107 casos, 3 mortes e 63 pacientes recuperados.

Com 1227 confirmações, 26 mortos e 678 recuperados, Pindamonhangaba decidiu avançar à fase amarela, em decreto divulgado no último final de semana pelo prefeito Isael Domingues (PL). Cachoeira Paulista também decidiu avançar na flexibilização, com decreto assinado na última segunda-feira (10) pelo prefeito Edson Mota (PL) e publicado no site cachoeirapaulista.sp.gov.br.

As cidades Queluz e Bananal seguirão na fase vermelha, a mais restrita de todas.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?