Após reduzir atendimentos no PS, Hospital Frei Galvão recua e retoma serviços

Reunião define volta de atenção além da urgência e emergência; suspensão foi motivada após leitos atingirem capacidade máxima

O Pronto Socorro de Guará, que funciona atualmente nas dependências do Frei Galvão; serviço retomado (Foto: Leandro Oliveira)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá 

O Pronto Socorro de Guaratinguetá retomou os atendimentos gerais após o Hospital Frei Galvão, que administra o PS, ter informado que suspenderia a atenção, exceto para casos de urgência e emergência. A interrupção durou menos de um dia. Apesar da mudança, a unidade não atenderá pacientes com sintomas gripais, já que no município o Hospital de Campanha é ponto de referência para atendimentos dessa natureza.

Antes da suspensão, entre quarta (19) e quinta-feira (20), o hospital concentrava uma média de quatrocentos atendimentos a pessoas com sintomas gripais por dia. Próximo da capacidade limite de atenção diária, a unidade informou que focaria nos casos de urgência e emergência, gestantes e crianças de até 12 anos. A decisão durou até a tarde de quinta-feira, quando uma reunião envolvendo representantes da Prefeitura e do Frei Galvão, terminou com acordo de retomada. “Não pode ser tão rigoroso ao ponto de não atender a população e manter apenas urgência e emergência. O Pronto Socorro tem que ter seu andamento normal e fazer triagem. Nos casos que for síndrome gripal, tem que direcionar para o Hospital de Campanha”, afirmou Soliva, após confirmar o retorno da atenção no PS.

Questionado sobre um suposto aditivo contratual com o Hospital Frei Galvão, Marcus Soliva confirmou a possibilidade. “Está sendo discutido juridicamente, porque existe a análise jurídica acima de tudo. Quando você fala em reajuste contratual, passa pela questão financeira e jurídica”, explicou. “Se não tiver respaldo jurídico para poder alterar valor contratual, não tem o que se fazer. As contas públicas da Prefeitura estão rigorosamente em dia. O hospital não está recebendo atrasado. É aquilo que foi contratado, que foi assinado”, finalizou.

O Hospital Frei Galvão confirmou por meio de nota que reduziu os atendimentos no Pronto Socorro de Guaratinguetá, gerido pela unidade hospitalar. “Esclarecemos que devido ao atingimento da nossa capacidade máxima de atendimento e acomodação aos pacientes, sem perspectiva imediata de melhora, adotamos medidas de contingenciamento de modo que está mantido os atendimentos de crianças (até 12 anos), gestantes e casos de urgência e emergência via remoção (trecho da nota)”.

Ainda no comunicado, o hospital havia feito um apelo para que os moradores com casos de menor gravidade procurem as UBS (Unidades Básicas de Saúde) mais próximas de suas residências. A recomendação permanece, já que o Pronto Socorro não atenderá pacientes com sintomas gripais.

Antes da decisão do Frei Galvão, a secretaria de Saúde já havia informado que os atendimentos de casos de pacientes com sintomas gripais estavam sendo concentrados nas UBS’s até às 17h e no Hospital de Campanha, ao longo das 24 horas diárias, para evitar aumento de demanda desses casos no Pronto Socorro, mas os demais atendimentos realizados no PS continuavam sendo prestados normalmente.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?