Thales Gabriel revela que sem apoio do Estado, Santa Casa de Cruzeiro pode fechar

Prefeito confirma situação crítica de hospital, que tem dívida de R$ 20 milhões e cobrou socorro a Doria

Há quase cinco anos sob intervenção, Santa Casa de Cruzeiro enfrenta dívida de R$ 20 milhões em 2019 (Foto: Jéssica Dias)
Há quase cinco anos sob intervenção, Santa Casa de Cruzeiro enfrenta dívida de R$ 20 milhões em 2019 (Foto: Jéssica Dias)
Leandro Oliveira
Cruzeiro
Uma das várias reuniões que têm discutido as necessidades das santas casas da região tiveram uma notícia preocupante. Entre os representantes do encontro em Guaratinguetá, o prefeito de Cruzeiro, Thales Gabriel Fonseca (SD), revelou que o hospital da cidade pode fechar as portas se o Governo do Estado não prestar auxílio financeiro.A reunião contou com a participação do deputado federal Marco Bertaiolli (PSD), que é membro da Comissão Federal de Saúde e também representa a Frente Parlamentar em Defesa das Santas Casas do Estado. Prefeitos e secretários municipais do setor participaram das audiências, também realizadas em Aparecida.

Fonseca foi indagado pelo Jornal Atos sobre a real possibilidade de fechamento do hospital. “As falas são fortes e devem ser fortes”, afirmou. “A Santa Casa de Cruzeiro só não está fechada em decorrência da parceria com a Prefeitura. Se o Estado não se movimentar e fortalecer os hospitais daqui, teremos sérios problemas, principalmente a Santa Casa de Cruzeiro, que atende todo o Vale Histórico”.

O fortalecimento dos hospitais da região foi pauta principal da reunião. Bertaiolli citou que a proposta ideal para dar sobrevida às santas casas é estruturar, capacitar e injetar recursos em cada hospital, desde que não haja conflitos de atendimentos prestados em cada unidade. “A grande defesa que eu faço é pela integração da saúde pública. Temos muitos hospitais que oferecem uma qualidade acima da média e, portanto, merecem mais investimentos do Governo Estadual e Federal para custear os seus serviços e aumentar os serviços prestados”.

Segundo Thales, na última apuração feita pelo município foi confirmado que a dívida da Santa Casa ainda está acima dos R$ 20 milhões. O hospital possuía um déficit mensal de aproximadamente R$ 300 mil até novembro de 2018. Com a assinatura de novos convênios, o prejuízo está sendo saldado gradativamente, porém, a dívida ainda é contínua. “Temos um passivo muito grande, principalmente no que diz respeito às ações trabalhistas de funcionários que saíram. Junto com o Fundo de Garantia e o INSS, faz com que a conta não feche todos os meses. Se for contar só o que entra e o que sai todo mês (recursos), o saldo é positivo, no entanto, com o passivo o déficit é mensal, e a gente precisa da ajuda do Estado”, clamou o prefeito.
No ano passado a Santa Casa de Cruzeiro adquiriu um arco cirúrgico e um tomógrafo. Os equipamentos ampliaram os atendimentos do hospital aos moradores do Vale Histórico. A intervenção municipal sobre o hospital deve seguir até o fim do mandato, segundo o próprio prefeito.

A pauta do que foi discutido nas duas reuniões será encaminhada ao Governo do Estado de São Paulo, através da Frente Parlamentar, e ao Ministério da Saúde. Uma nova reunião com lideranças do Estado está prevista ainda para o mês de maio, mas ainda sem data definida.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

× Como posso te ajudar?