Cidades da região divergem sobre realização do Carnaval; cobrança em Pinda

Câmara aguarda resposta sobre evento; Jacareí e Ubatuba já anunciaram o cancelamento das festividades

Folia nas ruas de Pindamonhangaba em 2020; edição do próximo ano divide opiniões na cidade e região (Foto: Reprodução PMP)

Bruna Silva
RMVale 

Enquanto o ano marcado pela sequência da luta contra a Covid-19 se aproxima do fim, o debate sobre os planos para 2022 se acirram. Entre eles o Carnaval. Nas últimas semanas, prefeituras paulistas anunciaram o cancelamento das festividades. Na região, as opiniões divergem.

Com receio de um novo surto, os vereadores de Pindamonhangaba passaram a pressionar a Prefeitura para o cancelamento. Até o momento, o Município não se pronunciou sobre as festividades de Momo.

O pedido foi liderado pelo vereador e pastor Marco Mayor (PSDB), que relatou preocupação com a voracidade que a pandemia levou vidas e lembrou dos novos surtos que ocorrem na Europa. “Imagine se nossa cidade receber uma nova onda? Como vamos enfrentar isso novamente? Eu não quero mais receber ligações e vocês (vereadores) receberam tantas de alguém desesperado na fila para uma vaga na UTI”, lamentou no plenário.

A solicitação foi ainda endossada pelo presidente da Casa, José Carlos Gomes, o Cal (PRB), e outros, como Magrão (PL).

Fortalecido após a trágica inundação em São Luís do Paraitinga em 2010, o Carnaval de Pindamonhangaba passou a trazer os blocos luisenses como atrações para as festividades de rua. Nos últimos anos, se tornou um dos mais importantes da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte).

Em 2020, a estimativa de público foi de oitenta mil pessoas entre os cinco dias de programação. Blocos tradicionais da época como Juca Teles e Barbosa arrastaram, em 2018, 25 mil e 40 mil foliões, respectivamente.

Por meio de nota, a Prefeitura esclareceu que o Comitê de Enfrentamento à pandemia está analisando a situação gradativamente. “Além disso a secretária de Saúde tem monitorado a situação junto às outras secretarias de saúde da região, analisando os números de internação e vacinação. Assim que o Município tiver uma posição ele vai se manifestar”.

Desde o início da crise sanitária, Pinda registrou mais de 20 mil casos e 432 óbitos causados em decorrência de complicações da doença. Ao menos cinco moradores seguem hospitalizados, entre casos confirmados e suspeitos. Os índices de internação operam em 13% na enfermaria pública e privada e 25% na UTI pública (Unidade de Terapia Intensiva).

Decisão tomada – Ainda nesta semana, as prefeituras de Ubatuba, Jacareí e Taubaté optaram pelo cancelamento do Carnaval como meio de segurança à saúde pública. Em Jacareí, a medida foi tomada entre a Associação Jacareiense de Samba e as autoridades municipais. Já em Taubaté, a Prefeitura viabilizará que cada escola celebre a data dentro de suas sedes, controlando assim o fluxo de pessoas. Ubatuba teve a suspensão anunciada pela prefeita Flávia Pascoal (PL), por meio das redes sociais. Em Lorena, a Prefeitura confirmou o evento.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?