Com apoio do Inpe, Dutra e Governo Federal, Mineiro “fura fila” e anuncia proposta para hospital regional

Prefeitos de Lorena e Cruzeiro já encaminharam projetos para o Governo de São Paulo; verba de R$ 10 milhões para adequação de área e interesse do Estado são armas de cachoeirense

Uma das reuniões de Mineiro em Brasília, que tratou sobre a área do Inpe, anunciada para o hospital regional (Foto: Reprodução PMCP)

Thales Siqueira
Cachoeira Paulista 

O debate sobre a proposta de um novo hospital regional para a região teve um capítulo surpresa nesta semana, que promete alterar a rota da atenção do governo de João Doria (PSDB), antes entre Cruzeiro e Lorena, e agora com projeto de Cachoeira Paulista. O prefeito cachoeirense, Antônio Carlos Mineiro (MDB), participou, na última segunda-feira (3), de um encontro da Codivap (Associação dos Municípios do Vale do Paraíba e Litoral Norte) para debater a instalação da nova unidade na região do Vale Histórico.

Com uma proposta batizada no cenário político de “fura fila”, Mineiro propôs que o empreendimento seja instalado no município, em um local estratégico: às margens da Rodovia Presidente Dutra.

Os prefeitos de Lorena, Sylvio Ballerini (PSDB), e Cruzeiro, Thales Gabriel Fonseca (PSD), já haviam apresentado projetos técnicos ao governador e também estão na busca pelo atendimento regionalizado. Fonseca conta com o apoio de outras sete cidades do Vale Histórico: Lavrinhas, Silveiras, Queluz, Bananal, Arapeí, São José do Barreiro e Areias. Até mesmo a própria Cachoeira Paulista figurou apoio à ação, encabeçada pelo prefeito cruzeirense.

Mas durante entrevista ao programa “Atos no Rádio”, na última terça-feira (4), Mineiro destacou que já havia solicitado ao ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, a cessão de área do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) pensando em investimentos para a cidade. A proposta do gestor ganhou força após a decisão do Governo do Estado de não readaptar nenhum prédio existente para receber o Hospital Regional, e sim a criação de um novo espaço. “O foco do governo não é desmanchar Santa Casa e fazer hospital. O foco do governo é agregar e fazer um hospital regional de alta média complexidade. As Santas Casas dos municípios (Cruzeiro e Lorena) continuarão funcionando. Vai ser escolhida uma área para construir o hospital e eu tenho o melhor lugar para ser construído que é na beira da Rodovia Presidente Dutra, de fácil acesso”, frisou. “Acho que o melhor lugar é em Cachoeira Paulista. Não estou querendo fazer ‘queda de braço’, o que eu quero é que funcione e no melhor lugar para todo mundo”, argumentou Mineiro.

O chefe do Executivo afirmou que recebeu um aporte econômico da CCR Nova Dutra de R$ 10 milhões. Ele lembrou um hospital regional que atende na região de Volta Redonda-RJ, que fica à beira da Via Dutra e que conta com aporte financeiro da CCR Nova Dutra. “Vamos buscar com a Nova Dutra um valor bem bacana para agregar na construção do hospital”, reforçou.

Ainda não há uma data marcada para a resposta do Estado sobre a tramitação e a definição da cidade que abrigará o hospital regional. Independentemente da escolha do local, a implementação do atendimento em alta e média complexidade promete resultar numa melhoria para a população de toda a região.

Projetos paralelos – Em fevereiro, o prefeito Sylvio Ballerini revelou, em sua página oficial no Facebook, que solicitou a implantação do aparelho público para Lorena, após uma reunião com o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e o subsecretário da pasta, Ortiz Júnior (PSDB). A justificativa apontada pelo estudo técnico foi que a cidade possui uma consolidada estrutura de Saúde, pois abriga o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) e o CER (Centro de Especialidades e Reabilitação).

Já Fonseca demonstrou confiança pela escolha do Estado por Cruzeiro, que tem o apoio dos prefeitos das cidades do Vale Histórico, na sub-região 5 da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte).

Além de São José dos Campos, apenas Taubaté e Caraguatatuba contam com hospitais regionais na região. A unidade da cidade no Litoral Norte foi entregue em março de 2020, após investimento de R$ 188 milhões, mas com apenas 40% da estrutura de atendimento, totalmente direcionada para os cuidados aos pacientes contaminados com o novo coronavírus. Foram 18 meses de atrasos para a inauguração do prédio.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?