Período de chuvas favorece alta na produção de leite e arroz na região

Jovem faz ordenha de gado, em Guaratinguetá; produção leiteira e de arroz são apostas da região em 2017 (Foto: Colaboração)
Jovem faz ordenha de gado, em Guaratinguetá; produção leiteira e de arroz são apostas da região em 2017 (Foto: Colaboração)

Colaboração
Região

Os mercados de arroz e leite prometem boas safras neste ano para a região. As frequentes chuvas estão favorecendo a produção agropecuária e causando boas expectativas aos produtores rurais, trazendo geração de novas vagas de emprego e investimentos no ramo.

O Vale do Paraíba, região considerada uma das principais bacias leiteiras do Estado, deverá ter um ano com preços favoráveis aos produtores. Devido às chuvas dos últimos meses, a expectativa de uma boa safra de milho deve impactar positivamente nos custos de insumos utilizados na produção de leite na região.

De acordo com a Cooperativa de Laticínios Serramar, de Guaratinguetá, são coletados 200 mil litros de leite diariamente nas fazendas da região, que poderá ser ultrapassado para 220 mil litros ainda este ano.

Os valores pagos aos produtores por litro, devem manter a média de R$1,40 a R$ 1,45 superando o ano passado com os valores registrados em R$ 1,32 e R$1,35. “Acredito em uma alta aos produtores nos períodos de maior falta do leite (abril a julho). A tendência de melhora em 2017 pode não ser excelente, porém deve ser melhor do que 2016”, comentou o presidente da cooperativa, Pedro Guimarães.

Já o mercado do arroz, que mesmo sofrendo influências dos valores do dólar e da cesta básica, também está otimista para 2017.
O produtor Wanderley Zangrandi produz arroz há cinquenta anos, e precisou contratar mais dois funcionários para auxiliar a colheita. “O que, infelizmente, vem encarecendo um pouco é o preço do combustível e também dos adubos, mas o clima está bem favorável e deve compensar a alta dos insumos”, frisou.

A expectativa da Coopavalpa (Cooperativa dos Produtores de Arroz do Vale do Paraíba) é manter a mesma safra do ano passado, de aproximadamente 800 mil sacas. Atualmente, a cooperativa representa 51 cooperados de seis cidades da região: Guaratinguetá, Aparecida, Tremembé, Canas, Potim e Taubaté (distrito de Quiririm).

Para o presidente da Associação Agropecuária de Guaratinguetá, Thiago Chaves, o progresso na produção de arroz e leite fortalece o homem do campo e gera mais empregos, consequentemente, mais renda. “Sabendo-se que as safras serão proveitosas, todos ganham, do empregador ao funcionário. E isto contribui com a qualidade de vida”, comentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>