De olho no período chuvoso, Pinda acelera obras contra enchentes no Araretama

Principais vias do bairros são diretamente afetadas por cheias; proposta é garantir menor impacto já para o início do próximo ano

Dutos para obras de redução das cheias do bairro Araretama; Prefeitura adianta prazo com a chegada de chuvas (Foto: Bruna Silva)

Bruna Silva
Pindamonhangaba

Com a chegada do período chuvoso, característico do fim do ano, a Prefeitura de Pindamonhangaba tem acelerado as ações de obras preventivas contra enchentes no Araretama. As melhorias se concentram no córrego que corta a avenida Nicanor Ramos Nogueira.

O trecho é frequentemente alvo de cheias e tem recebido os trabalhos em etapas, conforme cronograma estabelecido pelo Município. Atualmente, as atividades ocorrerem na cabeceira da tubulação de entrada de água, no final rua João Batista Pereira.

Em março deste ano, a secretaria de Obras e Serviços Públicos iniciou as obras entre as ruas Ramiro Alves dos Santos e João Batista Ribeiro, próximo à saída do bairro. O local recebeu mais de cinquenta tubos, com 1,5m de concreto para que toda a tubulação fosse trocada. A ação buscava dar mais vasão às águas pluviais, eliminando as inundações em dias de chuva. No início do ano, após uma forte chuva, o local sofreu um desmoronamento de terra, na área lateral do “valetão”.

Nos últimos dias, as equipes finalizaram a nova cabeceira no lado da saída de água, garantindo maior fluidez e agilidade na passagem de água em dias de tempestades.
“Essa valeta sempre foi motivo de transtorno para os moradores. Um local abandonado que constantemente recebia lixo, materiais inservíveis e até animais mortos. Hoje estamos conservando melhor o espaço e agora, com essa obra, devolvendo a tranquilidade para os moradores”, assegurou o prefeito Isael Domingues (PL).

Principal avenida do bairro, a Nicanor Ramos Nogueira, é palco de recorrentes enchentes, principalmente no primeiro trimestre do ano. A expectativa da Prefeitura é amenizar o impacto das cheias já a partir de 2022.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?