Vereador cobra Edson Mota por benefícios à servidores e atrasos na Santa Casa

Prefeito se surpreende com Breno Anaya sobre vencimentos que não teriam sido efetuados pela administração no último ano

Breno Anaya e Edson Mota: cobrança sobre saúde vem da base (Foto: Arquivo Atos)

Rafael Rodrigues
Cachoeira Paulista

O vereador Breno Anaya (PSC) surpreendeu o cenário político nesta semana, quando apresentou, durante o recesso, um requerimento de informação solicitando respostas da Prefeitura de Cachoeira Paulista sobre o pagamento da rescisão trabalhista de funcionários demitidos da Santa Casa, e do pagamento de benefícios dos servidores municipais. O parlamentar, que compõe a base governista na cidade, disse que já havia questionado a administração sobre esses atrasos, mas resolveu documentar essa semana o pedido de informação.

No documento, ele exige que os valores sejam quitados pelo Executivo. Anaya disse que muitos funcionários estavam reclamando, principalmente porque o vale alimentação já é baixo e a situação ficou ainda mais complicada sem o pagamento. Segundo ele, o valor referente às férias também foi alvo de insatisfação dos servidores. “Muitos saíram de férias no mês de janeiro, mas ainda não receberam o dinheiro referente, e também o vale alimentação, que teria que ter sido pago no ano passado, referente de dezembro, não ter sido pago até agora”, criticou.

O vereador também questionou a Prefeitura quanto ao pagamento de questões trabalhistas de funcionários da Santa Casa. “Como a entidade está sob intervenção, quem realiza o pagamento dos direitos trabalhistas de lá é a Prefeitura. Muitos funcionários foram demitidos em novembro, mas até agora não receberam a rescisão”, afirmou.

Durante entrevista à rádio Pop, na manhã desta última quarta-feira, o prefeito de Cachoeira Paulista, Edson Mota (PL), avaliou com estranheza o pedido de informação de seu aliado no Legislativo.

Segundo ele, Anaya foi precipitado e também já tinha as informações. “A Prefeitura conseguiu um recurso de R$ 5 milhões e eu limpei tudo, desde folha de pagamento da Santa Casa, e inclusive alguns salários que seriam pagos no quinto dia útil de janeiro”, contou Mota, que disse que os únicos problemas foram referentes ao vale alimentação. “Os arranjos da folha, como o vale alimentação e outras questões, teríamos até o dia 10 de janeiro para pagar, por isso eu achei estranho a atitude do vereador. Ele já tinha perguntado antes, e eu já expliquei”, garantiu.

Sobre as férias, o prefeito disse que não foram pagas ainda, não por falta de recurso, mas sim por questões burocráticas. “As férias, estamos esperando um novo cálculo e a expectativa é de que até semana que vem façamos o pagamento. Nem é falta recurso para realizar esse pagamento, porque dinheiro temos para pagar”.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?