Parque das Rodovias é 100% regularizado e famílias aguardam escrituras para esta semana

Trabalhos do Cidade Legal são concluídos e 325 documentos devem ser entregues na sexta-feira; saneamento básico é promessa para 2022

Uma das ruas da área que aguardava a regularização fundiária pelo programa estadual Cidade Legal (Foto: Rafaela Lourenço)

Rafaela Lourenço
Lorena

Após dez meses da entrega das primeiras escrituras, todos os moradores da área regularizada no Parque das Rodovias, devem receber a documentação das respectivas casas. Estado e Prefeitura definiram a data para concluir as entregas, enquanto a Sabesp segue em processo licitatório para as obras do tão esperado saneamento básico.

A região, habitada irregularmente há cerca de duas décadas e dividida em quatro núcleos, passou pela regularização fundiária do programa estadual Cidade Legal e o restante das famílias deve receber as escrituras de suas residências nesta semana. O Governo do Estado de São Paulo e a Prefeitura entregarão as últimas 325 escrituras aos moradores no próximo dia 15.

De acordo com a secretária de Obras e Planejamento Urbano, Rosana Reis, a equipe da assistência social está entrando em contato com os proprietários para informá-los sobre a entrega. Já o local e horário para o evento ainda serão definidos e divulgados. “São bastante pessoas né, então a gente está tentando negociar com a padre pra gente poder entregar essas escrituras ali na igreja Dom Bosco, no Parque das Rodovias”, salientou Rosana.

Além da regularidade das casas, um dos principais anseios da comunidade é o saneamento básico. A região ainda convive com o histórico esgoto a céu aberto, com a utilização de fossas e a falta de água tratada. “Quando chove você quase não consegue sair daqui. As ruas todas esburacadas. É muito dificultoso, mas a falta maior é de água e o esgoto que não tem né. Está complicado”, frisou o pedreiro aposentado, Daniel de 63 anos, que utiliza a água tratada da casa de sua filha, moradora da parte legalizada e devidamente estruturada do mesmo bairro.

Para a autônoma, Romana Santos, as obras são as mais esperadas pela população, que tem acompanhado as discussões, inclusive se reunido com o prefeito Sylvio Ballerini (PSDB), solicitando melhorias em pontos como a Rua 4, já finalizadas. A via recebeu obras paliativas como ampliação do manilhamento para escoar as águas das chuvas.

Segundo Ballerini, a Prefeitura não precisará arcar com contrapartidas para a implantação do sistema de abastecimento de água e esgotamento sanitário na região, conforme os primeiros estudos.  “A gente teria que pagar uma verba de quase R$ 800 mil, e a Sabesp entraria com a parte maior. Conversei com eles (Estado) e a notícia muito boa que recebi é de que fomos contemplados e não teremos de pagar essa parte do projeto”.

Por nota, a Sabesp ressaltou que “o investimento da Companhia é de aproximadamente R$1,2 milhão nas obras de saneamento básico. O projeto de implantação dos sistemas está em andamento para ser licitado. A previsão é que os serviços sejam iniciados até o primeiro semestre de 2022”.

Após a conclusão dessas obras, a Prefeitura deve iniciar os estudos para pavimentação das vias pelo programa estadual Nossa Rua, lançado em agosto. O novo benefício garante o repasse igualitário do Estado, ou seja, o projeto aprovado receberá do Governo a mesma quantia investida pelo Município.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?