Arilson desiste de Câmara no Centro de Guará e projeta obra de R$ 4 milhões por outro espaço

Terreno próximo à Unesp deve receber futura sede do Legislativo; presidente vê problemas com prédio cedido pelo Estado em 2019

O presidente da Câmara de Guará, Arilson Santos, que devolveu o prédio cedido pelo Estado; espaço seria nova sede (Foto: Arquivo Atos)

Da Redação
Guaratinguetá

A Câmara de Guaratinguetá devolveu o prédio cedido pelo Governo do Estado ao Município, em 2019, que seria a nova casa do Legislativo. Localizado na praça Conselheiro Rodrigues Alves, no Centro, o edifício é patrimônio histórico tombado e era sede da Diretoria Regional de Ensino antes ficar sob responsabilidade da Casa. Com o não, a presidência interrompe proposta que tinha como objetivo facilitar o acesso dos moradores ao trabalho dos vereadores.

O prédio foi cedido após negociação com o Governo em projeto que aproveitada a movimentação da cidade quanto às mudanças. O presidente de Câmara, Arilson Santos (PSC), justificou a devolução por entender que o custo para adaptação e reforma do prédio seria alto. Agora, o Legislativo foca na construção da sede própria.

Em entrevista ao Jornal Atos, Arilson destacou que o prédio é muito antigo e precisa de amplas reformas, restaurações e adaptações para ter acessibilidade. Por enxergar o custo como alto, o chefe do Legislativo decidiu devolver o prédio ao Executivo e mirar a construção da sede nova, com investimentos neste ano de cerca de R$ 2 milhões. “Diante de todos esses fatos, tendo em vista o montante em verba que seria destinado para reforma, restauração e adaptação, por não ter acessibilidade, com a colocação de elevadores, e ainda com outro agravante, a falta de estacionamento, tomamos a decisão de devolver esse prédio para o prefeito”, destacou o presidente.

O prédio foi devolvido nesta semana. Segundo Arilson, o Executivo pode destinar o edifício para sede de cursos profissionalizantes. “Conversei com o prefeito sobre a possibilidade de entregar e ele aceitou. Por hora, vai ser um equipamento da educação. Creio que possa ser um colégio técnico, que já existe hoje na cidade, ligado à secretaria de Assistência Social, que é o Qualifica Guará, e isso vem dar uma vida a Praça Conselheiro Rodrigues Alves”.

Segundo Arilson, a expectativa é que as obras custem neste ano acima de R$ 2 milhões. “Estamos provisionando para este ano de R$ 2 milhões a R$ 2,5 milhões. Para o ano que vem, com certeza termina e a gente teria aí mais R$ 1 milhão, ou um pouco mais. Creio que não vai passar disso a construção, pois será enxuta, realista e funcional para a Câmara”, concluiu.
O presidente confirmou a abertura da licitação para os próximos meses e a expectativa é de que as tratativas pela construção sejam rápidas.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?