Atos e Fatos

“As invasões em Brasília fortalecem politicamente Lula e atingem mortalmente o seu opositor.”

Murilo Aragão, cientista político

Invasão dos três poderes, em Brasília, nos atos de protesto (Foto: Reprodução EBC)

Professor Márcio Meirelles

VANDALOS, CRIMINOSOS, GOLPISTAS, PERDEDORES…

Difícil esquecer uma das páginas políticas mais vergonhosas da nossa recente democracia.

O fato se apresenta como um dos mais grotescos ocorridos na proclamação de um presidente eleito.

Não só a mobilização popular, mas o ato terrorista da bomba colocada no aeroporto de Brasília.

Não estourou pela incompetência do terrorista.

Se tivesse funcionado e ceifado vidas?

A democracia brasileira precisa ser protegida com respostas punitivas imediatas e vigorosas com ampla defesa aos indiciados.

A nossa democracia precisa ser defendida em todas as esferas com punição exemplar em um rol de crimes cometidos contra a democracia, e o desrespeito aos brasileiros dignos.

A democracia propicia a alternância dos poderes.

O perdedor de hoje pode ser o vitorioso de amanhã!

O dia 8 de janeiro será marcado como um dia triste da nossa história, mas um marco de resistência ao vandalismo e desrespeito à nação brasileira.

A vitória da democracia, da união dos poderes da república.

Nada de anistia, ampla e restrita.

A lei aos criminosos e as consequências de seus atos na supressão da liberdade.

O hábito de anistia na história política do país só serviu para incentivar o vandalismo, um perdão em nome da democracia, que não funciona para um grupo de brasileiros sem formação cultural e política.

De anistias a anistias construímos uma situação perniciosa de que tudo é possível ser feito.

 O costumeiro perdão que destrói a lei e a soberania do país.

Não podemos mais tolerar estes episódios que não fortalecem a democracia, mas a desconstroem por dentro, instalando a leniência e o desaparecimento da cidadania.

O infalível tudo pode, confundido com o senso de liberdade!

Se de tudo não bastasse houve incompetência generalizada, omissão das autoridades responsáveis pela segurança da sociedade.

Qual o objetivo?

É desprezo a democracia, a ignorância cidadã de alguns destrambelhados, escolhas erradas que causam intranquilidade ao país.

Uma demonstração de autocrítica, despreparado político, que entregaram ao seu opositor a vitória, apesar de uma margem estreita.

Os inconformados deveriam criticar os próprios aliados, inconformados com a possível derrota, com os que jogaram granadas na polícia e perseguiram pessoas com arma em punho em pleno dia.

Estão todos os “valentões” homiziados no Parque da Disney junto ao Pateta, o Mickey Mouse, Tio Patinhas   e seus sobrinhos, a Bela e a Fera.

Para piorar a situação, a data de 8 de janeiro também pode ser a outorgada ao presidente Lula com o título de” Campeão da Democracia” sob os aplausos do mundo democrático e não democrático.

De Biden a Vladmir Putin!

A prenunciada lua de mel que todo governo goza nos seus primeiros noventa dias de governo, paradoxalmente no Lula III, era uma incógnita.

A extensa lista de seus ministros na formação do seu ministério, ministros que assustavam o mercado, os acordos políticos a serem costurados, e seus discursos ambíguos e retrógrados foram salvos pela invasão dos poderes.

Primitivos politicamente, pois enaltecem Lula e atingem mortalmente o líder opositor que com certeza se tornará inelegível.

Do mundo da fantasia para a realidade o ex-presidente Bolsonaro para pleitear uma anistia, ampla e irrestrita, a necessidade de explicar a sociedade os seus atos e tamém ao depredado Supremo Tribunal Federal.

“Alea jacta est”

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?