Região volta à fase laranja no Plano São Paulo

Governador João Doria destaca melhoras nos índices de contaminações e internações na RMVale; novos leitos de UTI ajudaram em avanço

Mapa apresentado pelo Estado durante a 21ª classificação do Plano SP, nesta sexta-feira; região avança à fase laranja (Foto: Reprdução GESP)

Da Redação
RMVale

O Governo do Estado de São Paulo anunciou no início desta sexta-feira (5) que a RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) avançou para a fase laranja do Plano São Paulo, de combate ao novo coronavírus. Essa foi a 21ª classificação do plano, que teve dez regiões avançando nas fases e apenas uma com queda (Araraquara).

Colocada em fase vermelha no último dia 22 (a mais rigorosa no plano de flexibilização da quarentena), a RMVale registrou uma série de desencontros de medidas entre o Estado e prefeituras, que chegaram a publicar decretos com normas mais brandas, como Aparecida, Guaratinguetá, Lorena e Taubaté. As medidas foram contornadas após posicionamento da Procuradoria Geral do Estado, que apontou a necessidade de seguir o Plano SP.

Desta vez, a RMVale, apontada no mapa de apresentação como “região de Taubaté”, foi colocada na segunda fase (laranja), com menor rigor que a estipulada para as semanas anteriores. A apresentação contou com comemoração da queda no número de internações e entrega de leitos, anunciadas em cidades referências como Guaratinguetá (ganhou dez leitos nesta semana) e o Litoral Norte (vinte novas unidades) em atendimento como o Hospital Regional. “Ela é feita de acordo com critérios do centro de contingencia, que permitem áreas que mostraram melhorias possam avançar. As regiões hoje em fase amarelas apresentam indicadores muitos distintos das regiões hoje em fase laranja, com até três vezes menos internações e contaminações”, destacou o coordenador do Comitê de Saúde, Paulo Menezes. Com o avanço, as cidades da região estão aptas a liberar atividades como o comércio em geral, restaurantes, salões de beleza, barbearias, academias e centros esportivos. Os expedientes terão limite de até oito horas diárias para restaurantes e 12 horas para outras as atividades liberadas. O atendimento presencial em bares continua proibida.

De acordo com o Estado, a venda de bebidas alcoólicas em lojas de conveniência e depósitos só podem ocorrer entre 6h e 20h em todas as 645 cidades paulistas.

Assim como durante todo o período de atuação do Plano SP, as prefeituras podem adotar medidas mais restritivas do que as apresentadas pelo Estado (durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes), em caso de condições preocupantes no combate ao novo coronavírus dentro do município.

Os estabelecimentos devem seguir todos os protocolos sanitários e de segurança. Os governos municipais que se recusam a seguir as normas do Estado ficam sujeitas a sanções judiciais.

Casos – Desde de o início do ano, todo o Estado tem registrado elevação acelerada dos casos do novo coronavírus. Os números da primeira semana de fevereiro mostram que a região segue em escalada. Nos quatro primeiros dias do mês, a RMVale tem 88 óbitos e 8.636 confirmações da doença, uma média de 22 óbitos e 2.150 diagnósticos positivos por dia, as maiores médias de toda a pandemia até agora, inclusive janeiro, mês recorde de contaminações, com 1.238 casos e 16 mortes por dia.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?