Estado anuncia cronograma de melhorias em rodovia de acesso a Caraguá e Ubatuba

Ação tenta garantir mais segurança para motoristas na Rio-Santos; obra deve ser iniciada até junho

Trecho da rodovia Rio-Santos, que faz parte de planejamento para obras do DER, anunciado pelo Estado na última semana (Foto: Reprodução DER)

Lucas Barbosa
Litoral Norte

Prevendo um investimento de R$ 10,8 milhões, o Governo do Estado abriu o processo licitatório para a contratação da empreiteira que será responsável pelas obras de recuperação e modernização da rodovia Doutor Manoel Hyppolito Rego, a Rio-Santos.

Os trechos de Caraguatatuba e Ubatuba serão os únicos beneficiados pela medida.

Vinculado à secretaria estadual de Logística e Transportes, o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) publicou no último dia 18 um edital de chamamento público no Diário Oficial para viabilizar o início do serviço de melhorias na SP-55, que liga Ubatuba a Santos.

De acordo com o documento, a obra consistirá nas construções de mais uma pista, paralela à já existente, e duas pontes sobre os rios Arapirá e Maranduba, que ficam entre os quilômetros 77,6 e 77,8 da via.

A expectativa do Estado é que o serviço seja iniciado até o fim do primeiro semestre de 2020. Após seu início, a melhoria deverá ser concluída num prazo de até um ano.

Além de facilitar a fluidez do tráfego, a modernização tentará garantir mais segurança aos motoristas e motociclistas que circulam pela rodovia que, além de Caraguatatuba e Ubatuba, dá acesso às cidades litorâneas de Bertioga, Ilhabela e São Sebastião.

Segundo a gerência do DER, a Rio-Santos é uma das rodovias paulistas que registram os maiores fluxos de veículos durante o Verão.

As empresas interessadas em concorrerem ao processo licitatório deverão se cadastrar no site oficial do órgão até 10 de fevereiro. A sessão pública de abertura dos envelopes com as propostas das empresas será realizada em 27 de fevereiro, na sede do DER, em São Paulo.

Cunha-Paraty – A estrada que liga os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, através de Cunha e Paraty-RJ, constantemente é alvo de reclamações de motoristas e motociclistas devido a buracos, erosões e outras falhas estruturais.

Reaberta para o tráfego em julho de 2016, após um investimento do governo paulista de R$ 17 milhões e carioca de R$ 105 milhões, a via possui 49 quilômetros de extensão, mas desde o início de 2019 a qualidade da estrada vem sendo questionada por seus usuários, principalmente no trecho de responsabilidade do Rio de Janeiro.

Procurada pela reportagem do Jornal Atos, a secretaria de Logística e Transportes de São Paulo afirmou que atualmente são executados serviços de contenção de erosão e de proteção aos motoristas em diversos trechos da pista.

Questionada sobre possíveis negociações com o Governo do Rio de Janeiro para a realização de outras melhorias na estrada, a pasta preferiu não se manifestar.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?