Câmara investiga denúncia contra Teca por abandono de prédios públicos em Piquete

Prefeita nega irregularidades e diz que prioridades da cidade são outras; vereadores têm noventa dias para apurar o caso

A prefeita Teca Gouvêa, que enfrenta CIP aberta na última semana (Foto: Arquivo Atos)
A prefeita Teca Gouvêa, que enfrenta CIP aberta na última semana (Foto: Arquivo Atos)

Leandro Oliveira
Piquete

A Câmara de Piquete aprovou a abertura de uma CIP (Comissão de Investigação Processante) que vai apurar casos de abandono de prédios públicos do Executivo.

A sessão extraordinária que determinou a abertura da processante foi presidida por Rômulo Kazimierz (SD), na última segunda-feira.

Kazimierz, que é vice-presidente da Casa, revelou que os vereadores terão aproximadamente três meses para investigar as situações de duas escolas municipais e um posto de saúde. O vereador confirmou também que, antes da propositura ser aberta, a Câmara tentou o contato com a prefeita Ana Maria Gouvêa, a Teca (PSB), sem sucesso.

Durante a sessão foram sorteados os vereadores que vão compor a CIP. Ficou definido que o presidente da comissão será o vereador Heloizio da Silva (PTB). Claudinei Luiz de Moraes (PR) será o relator e Joaquim Alves, o Junior (PP), o membro. “Seguindo o regimento interno da Câmara, os vereadores terão noventa dias para investigar”, contou Kazimierz.

A prefeita Teca Gouvêa não se mostrou preocupada com a abertura da CIP, mas negou que os prédios citados pelos vereadores estariam em situação de abandono. “Eles não estavam sem os devidos cuidados. São prédios que não estão sendo usados, não foram construídos na minha gestão e já estavam sem uso, com exceção de uma escola que estava sendo usada e não tinha mais demanda”, rebateu.

Teca garantiu que a Prefeitura realizava limpeza nos prédios, mesmo sem o devido funcionamento de ambos, duas vezes ao ano. Questionada se existem projetos de manutenção dos prédios, a prefeita respondeu que o município tem outras prioridades. “Enquanto gestores públicos, precisamos fazer opção de onde vamos utilizar o dinheiro público. Não vou tirar dinheiro de remédio, de manutenção de veículos da saúde, de limpeza pública para colocar em coisas que não têm demanda para ser utilizada”.

A prefeita destacou ainda que está tranquila quanto à investigação, e que vai trabalhar junto ao corpo jurídico para apresentar sua defesa.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?