Guará é atendida com novo grupo de casas do CDHU no Santa Luzia

Com investimento previsto para R$ 4,3 milhões, projeto deve contar com 44 moradias

Residencial do CDHU em Guaratinguetá; cidade faz parte de municípios atendidos em novo pacote de unidades anunciados pelo Estado (Foto: Juliana Aguilera)
Residencial do CDHU em Guará; cidade faz parte de municípios atendidos em novo pacote de unidades anunciados pelo Estado (Foto: Juliana Aguilera)
Juliana Aguilera
Guaratinguetá
O município de Guaratinguetá foi uma das cidades escolhidas para os novos empreendimentos do Governo do Estado de São Paulo com a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano).

A decisão foi assinada em 21 de fevereiro, em cerimônia realizada na sede da secretaria de Estado da Habitação, com a presença do secretário Nelson Baeta e prefeitos das cidades contempladas.

Ainda em fase de elaboração, a nova unidade da CDHU em Guaratinguetá tem local definido, o bairro Jardim Santa Luzia. Serão construídos 44 unidades habitacionais, com um investimento previsto de R$ 4,3 milhões. O bairro já possui 189 unidades habitacionais da CDHU. As datas de início das obras e inscrição de interessados ainda não está prevista.

O programa “Morar Bem, Viver Melhor” reúne ações e investimentos em habitação, como infraestrutura, urbanização, acessibilidade e cuidados com meio ambiente.

Ao todo, o programa contempla 1.581 residências em Guaratinguetá, sendo divididas em quatro locais: bairros Parque São Francisco, Parque do Sol, Santa Luzia e Avenida da Basf. Segundo o secretário de Planejamento, Rodrigo Mussab, estima-se quatro a cinco pessoas por família (entre 6.324 a 7.905 pessoas) no município, atendidas pelo programa.

O próximo passo para a nova área implantada no Jardim Santa Luzia será a contratação de uma empresa para realização da sondagem do solo. Além do programa “Morar Bem, Viver Melhor”, Guaratinguetá também conta com o projeto habitacional, em convênio com a Caixa Econômica Federal.
Mussab destacou que o projeto conta com quinhentas unidades e já está em fase de conclusão. “Falta apenas a estação de tratamento de esgoto”, explicou.

As unidades habitacionais serão divididas nos conjuntos Flamboyant 1, 2 e 3. Atualmente, Guaratinguetá possui o déficit habitacional de aproximadamente duas mil unidades residenciais, com prioridades para famílias que vivem em moradias inadequadas, em residências construídas com materiais não duráveis ou coabitadas por um número excessivo de pessoas, além de áreas de risco.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?