Pinda registra uma das menores taxas de mortalidade neonatal do estado

Dado divulgado pelo Município nesta semana aponta estratégia que levaram a bom resultado; levantamento é referente a 2019

A Santa Casa, apontada como primordial para Pindamonhangaba avançar contra a mortalidade infantil (Foto: Reprodução)

Bruna Silva
Pindamonhangaba

A secretaria de Saúde de Pindamonhangaba anunciou, nesta semana, ter registrado uma das menores taxas de mortalidade infantil neonatal do estado, além de ter a melhor posição da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte).

Os dados são referentes a 2019 e foram publicados, recentemente, pelo Sinasc (Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos) do Estado de São Paulo. Segundo o indicativo, a cada mil nascidos vivos, sete faleceram. A média estadual é de 12,7. Pindamonhangaba possui a menor taxa na região e por isso lidera o ranking. Diante do estado, ocupa a 126ª colocação entre os mais de quatrocentos municípios. O levantamento considera partos realizados na rede pública e privada.

“Hoje, o município oferece atendimento exclusivo, com recepção separada e médico presente 24 horas, sala de espera com poltrona e TV, sala de triagem com enfermeiros em período integral, sala de procedimento com poltronas reclináveis e consultório adotado com banheiro e suporte para maca”, afirmou a responsável pela pasta da Saúde, Ana Cláudia dos Santos.

A cidade atrelou o bom desempenho à atuação do Pronto Atendimento Saúde Gestante, em colaboração com a Santa Casa de Misericórdia, que realiza em média 2,4 mil procedimentos. A unidade atende consultas médicas, consultas para recém-nascidos, análise laboratorial, ultrassonografia transvaginal e obstétrica, além de serviços de enfermagem, tococardiografia e medicações. A média de atendimentos é de duas mil pessoas por mês. Oferece também sala de repouso e suporte de oxigênio, centro de imagens, centro cirúrgico e posto de coleta de leite humano.

A expectativa é que mais R$ 600 mil reforcem o orçamento para os atendimentos às grávidas, por meio de emendas parlamentares que serão direcionadas à Santa Casa.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?