Pinda declara estado emergencial com duas mortes e avanço de casos da dengue

Com decreto, Município está liberado para adquirir materiais e ações contra a doença; Estado cria Centro de Operação de Emergências para combater casos da doença

Trabalho de nebulização é uma das ações reforçadas no combate a dengue; em estado de emergência (Foto: Divulgação PMP)

Andréa Moroni
Pindamonhangaba

A Prefeitura de Pindamonhangaba decretou situação de emergência após confirmar duas mortes e acumular número preocupante de casos de contaminações por dengue. Além de anunciar a ampliação da estrutura de atendimento, o prefeito Isael Domingues (PL) voltou a pedir colaboração dos moradores.

O anunciou, divulgado por meio de vídeo nas redes sociais nesta terça-feira (6), confirmou a condição do município, que tem uma das situações mais complicadas da doença na região.

Com o decreto, a Prefeitura pode adotar medidas administrativas necessárias à contenção da epidemia, como a aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços relacionados ao atendimento da situação emergencial, além de autorizar ações com maior rigor em notificações e multas a quem se recusar a colaborar com os agentes, impedindo visitas e ações de combate à dengue.

No vídeo publicado, Domingues disse que o decreto tenta facilitar a relação da Prefeitura com fornecedores, Governo do Estado e órgãos governamentais. “Em 2014, nós tivemos aqui em Pinda um dos maiores surtos de dengue, com 2884 casos. Agora, dez anos depois, estamos enfrentando outro surto”.

No último boletim divulgado, no último dia 1, a cidade contava com 1.930 casos desde o início do ano, com dois óbitos. “Foram dois senhores idosos, na casa dos oitenta anos, que tinham comorbidades que foram agravadas pela dengue”, destacou o chefe do Executivo.

O número supera em 12.766% o índice do mesmo período do ano passado, quando Pinda havia registrado 15 contaminações. Em todo o ano de 2023 foram 2.507 casos.

O prefeito salientou que a Vigilância em Saúde do Município já está realizando ações em todas as regiões da cidade para eliminar os criadouros do mosquito transmissor da dengue. O serviço conta com apoio do 2º Batalhão de Engenharia de Combate – Batalhão Borba Gato.

A Prefeitura intensificou os trabalhos de inspeção e nebulização de casas e estabelecimentos comerciais, remoção de entulhos e objetos que podem servir de criadouro do Aedes aegypti, mutirões de limpeza e campanhas de conscientização.

A nebulização é feita com inseticida Cielo, produto mais moderno do mercado e indicado pelo Ministério da Saúde, e do atomizador veicular Alexo.

Estado – Nesta terça-feira (7), o governo estadual lançou o Centro de Operação de Emergências para combater casos de dengue. O órgão é coordenado pela secretaria da Saúde. O governador em exercício, Felício Ramuth (PSD), anunciou a liberação de R$ 200 milhões em recursos para utilização direta pelos municípios no combate à doença.

Entre as medidas anunciadas estão a atuação direta da Defesa Civil nas vistorias nas casas e a capacitação dos profissionais de educação para que possam fazer “sensibilização” dos alunos nas escolas.

De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Eleuses Paiva, entre 65% e 80% dos focos do mosquito da dengue estão nas residências, O Estado também montou uma sala de situação e um painel de monitoramento da dengue, com dados de casos e óbitos.

Outra cidade da região que registrou mortes por dengue em 2024 foi Jacareí. Dois idosos, um de 74 anos e outro de 84 anos, morreram em janeiro. A Prefeitura registrou em janeiro 1.149 casos e também decretou situação de emergência.

Compartilhar é se importar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?