Mesmo com críticas, radares seguem inativos em Pinda

Segundo o Município, equipamentos estão sendo instalados e passarão por testes antes de retomada

Ao menos oito regiões do município, incluindo o Carangola, receberão fiscalização eletrônica (Foto: Bruna Silva)

Bruna Silva
Pindamonhangaba

Apesar da polêmica após o anúncio de controle de velocidade através de radares, os equipamentos seguem inativos em Pindamonhangaba. Segundo a Prefeitura a fiscalização eletrônica ainda não está funcionamento e passará, em breve, por testes.

O Departamento de Trânsito destaque que estão sendo instaladas e regulamentadas as placas indicativas de velocidade nas vias públicas. Em seguida, os equipamentos passarão por testes conforme o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), o que pode durar até 15 dias.
“Finalizado o período de testes é que iremos iniciar a campanha de comunicação para posteriormente começar o processo de fiscalização eletrônica. Entretanto, ressaltamos que essas vias já contam com limite de velocidade e é muito importante que os motoristas respeitem os limites para que tenhamos um trânsito mais humanizado”, comentou o secretário de Segurança, Fabrício Pereira.

No primeiro trimestre deste ano, a Prefeitura anunciou as ações de modernização da fiscalização eletrônica de trânsito. Entre as grandes cidades da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte), Pindamonhangaba era a única a não utilizar radar de controle de velocidade.

Com a nova medida, oito regiões passarão a ter a fiscalização eletrônica, entre elas Anel Viário, rua Fontes Júnior, no bairro Alto Cardoso e rua Suíça, no Carangola. Outras áreas estão em levantamento.

A expectativa é que com os radares o índice de acidentes de trânsito caia na cidade, além de preservar o sistema de tráfego e reduzir a pressão sobre o sistema de saúde que tem os leitos e profissionais ocupados no atendimento de acidentados.

Para o estudante de engenharia elétrica, Carlos de Souza, de 29 anos, morador do Cidade Jardim, a iniciativa precisa ser vista com cautela, uma vez que a incidência de multas pode ser elevada. Ele apontou que outros meios de redução de velocidade, como lombadas e tachões, podem garantir um trânsito seguro para a população.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?