Com expectativa de fomentar a economia, Pinda remodela turismo com “City Tour”

Projeto é aposta para incentivar ações turísticas e culturais com passagem por principais pontos da cidade; ação foca MIT

Museu Histórico Dom Pedro I e Dona Leopoldina de Pindamonhangaba (Foto: Reprodução PMP)

Bruna Silva
Pindamonhangaba

De olho no cenário pós-pandemia, a secretaria de Cultura e Turismo de Pindamonhangaba tem replanejado as estratégias para o setor com o objetivo de atrair mais turistas e fazer com que os moradores locais conheçam mais sobre a própria cidade. Uma das ações é o “City Tour”, que conta com passeio em prédios históricos, além de atividades de ecoturismo e gastronomia.

A iniciativa tem como objetivo apresentar a cidade para grupos de multiplicadores a fim de fomentar a atividade turística, aquecendo também e economia local. O projeto foi retomado no início deste mês e já contou, até o fechamento desta edição, com três edições.

O passeio conta com trajeto pelos principais prédios da cidade como Igreja São José, antiga casa de cadeia e Câmara Municipal, Igreja Matriz e também o Museu Histórico e Pedagógico Dom Pedro I e Dona Leopoldina, espaço que conta com mais de 18 mil itens de acervo.

A ação conta também com apoio de parceiros e comerciantes locais, como bares, cafés e restaurantes na área rural da cidade. Além de explorar o ecoturismo, como a Fazenda Nova Gokula, a maior comunidade Hare Krishna da América Latina.
“Nossas ações têm o objetivo de mostrar os locais que Pinda tem a oferecer e também apresentar nossa proposta de um novo turismo. Estamos felizes com a volta gradual das atividades depois de um longo período de pausa e temos muitos projetos a serem implantados, seguindo essa nossa visão de desenvolvimento do turismo na cidade”, ressaltou o secretário adjunto de Cultura e Turismo, Ricardo Flores.

Apresentação na comunidade hare krishna da Fazenda Nova Gokula pelo City Tour, aposta da Prefeitura de Pinda (Foto: Bruna Silva)

As ações fazem parte dos planos de Pindamonhangaba, que está se articulando para integrar o MIT (Município de Interesse Turístico), título dados às cidades que comprovam projetos e demandas do setor, garantindo investimento estadual (atualmente em R$ 650 mil) para fomentar as atividades. Na região, cidades como Cachoeira Paulista e Cruzeiro já contam com o título de MIR, enquanto Aparecida, Bananal, Guaratinguetá e Tremembé são declaradas estâncias turísticas. As quatro cidades do Litoral Norte 9Caraguatatuba, Ilhabela, São Sebastião e Ubatuba) são estâncias balneárias e outras quatro cidades são estâncias climáticas (Campos do Jordão, Cunha, Santo Antônio do Pinhal e São Bento do Sapucaí).

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?