Santa Casa de Lorena inaugura Centro de Cardiologia Avançada para atendimento na região

Prefeito anuncia nova verba de R$ 6 milhões e afirma que Município vai assumir demanda de custo do Programa Infarto Zero

Tomógrafo de cento e sessenta canais vai possibilitar exames de alta complexidade para os moradores da região (Foto: Eder Billota)

Andréa Moroni
Lorena

A Santa Casa de Lorena ganhou nessa semana um Centro de Cardiologia Avançada, o SantaCor. A cerimônia de inauguração, realizada na última quarta-feira (28), contou com as presenças do provedor do Hospital, Dr. Mário Paraná; do superintendente Dario Costa; do vice provedor Luiz Gustavo Matos Oliveira; do prefeito de Lorena, Sylvio Ballerini (PSDB); do prefeito de Cachoeira Paulista, Antônio Carlos Mineiro (MDB); do presidente da Câmara de Lorena, Fábio Longinho (PSD), médicos e secretários municipais.

O novo espaço está equipado com um tomógrafo de última geração, com 160 canais, capaz de realizar diversos exames em alta resolução, desde angiotomografia das coronárias até os mais complexos relacionados às especialidades vascular e neurologia. O equipamento foi adquirido por meio de uma doação do grupo Valgroup, que há anos contribui voluntariamente com o hospital.

O provedor da Santa Casa, Dr. Mário Paraná, afirmou que a inauguração desse centro é um avanço para a cidade e para a população de Lorena. “Tudo o que nós fazemos aqui é em benefício da população. Com esse equipamento (tomógrafo) poderemos salvar mais vidas. Por isso, eu agradeço”, enfatizou.

Além do Centro de Cardiologia Avançada, a Santa Casa já conta com um Centro de Hemodinâmica. O pontapé no setor foi liderado pelo cardiologista intervencionista, Dr. Luiz Heitor Demolinari Jr, que afirmou que o “serviço representa um marco para a saúde de Lorena e região”. A hemodinâmica é capaz de trazer o diagnóstico detalhado e o tratamento de doenças cardíacas através de métodos seguros e minimamente invasivos.

O prefeito de Lorena lembrou durante a inauguração que as Santas Casas vivem uma situação muito difícil no Brasil e sem apoio a situação fica ainda pior. “Por isso, eu tenho corrido atrás e conseguido várias verbas para o hospital. Nós conseguimos, na última segunda-feira, do governo do Estado uma verba de R$ 6 milhões que deve chegar entre novembro e dezembro. O governador nos prometeu que Lorena vai receber verba mensal para poder ser referência em algumas especialidades na região. E o programa Infarto Zero será um dos beneficiados”, destacou Sylvio Ballerinni.

Já para o superintendente da Santa Casa, Dario Costa, o Centro de Cardiologia eleva a Santa Casa a um novo patamar. “Hoje nós fazemos, por exemplo, o atendimento da maternidade de alto risco, mas não somos habilitados pelo Ministério da Saúde. Agora nós vamos fazer a parte de cardiologia, de hemodinâmica e isso leva a Santa Casa a ser considerada um hospital de alta complexidade. Já iniciamos todo o processo de habilitação desse serviço há quatro meses e estamos aguardando uma resposta do Ministério da Saúde”, revelou. “Dentro do levantamento do próprio Ministério da Saúde já vem uma verba de R$ 60 mil no nosso teto MAC (Bloco de Financiamento da Atenção de Média e Alta Complexidade), que é exclusivo para esse serviço”.

Costa informou que a Santa Casa, mesmo com os repasses do Ministério da Saúde, tem ficado deficitário e sempre precisa de mais recursos. “Na verdade, tem que ser um tripé: verbas municipal, estadual e federal. Um suprindo a falta do outro. Nós estamos buscando junto ao Estado e ao governo federal recursos para que a gente possa prestar um serviço com mais qualidade ainda”.

Sobre o programa Infarto Zero, que inclui o serviço de hemodinâmica e tem custo à Santa Casa de R$ 390 mil por mês, o superintendente contou que ele é desenvolvido pelo cardiologista intervencionista, Dr. Luiz Heitor Demolinari Jr e que o prefeito “comprou a ideia”. “Nós já fizemos um projeto piloto do programa para saber como ia funcionar, mas como existia a promessa do governo do Estado de aportar R$ 2, 3 milhões na Santa Casa, o prefeito preferiu esperar porque com o repasse seria possível fazer o programa. O fato é que o Estado não enviou o dinheiro e agora o prefeito falou novamente que vai bancar o programa para a população de Lorena”.

O programa – Com o intuito de reduzir os índices de mortalidade por infarto agudo do miocárdio, a Santa Casa lançou o “Infarto Zero”, que conta ainda com o procedimento denominado angioplastia primária, realizado ainda no atendimento emergencial.

A possibilidade de se submeter a esse procedimento, em um momento inicial da manifestação da doença, permite uma melhor recuperação, como explicou o cardiologista criador do projeto, Dr. Luiz Heitor Demolinari Jr. “Isso vai trazer um benefício para a população de Lorena, porque nós vamos ter a oportunidade de tratar esses pacientes de forma mais precoce. Tentando assim reduzir a mortalidade da doença que mais mata na nossa era”.

Em Lorena, mensalmente, uma média de cinco pacientes aguardam pelo menos uma semana para serem transferidos para outro município na realização do atendimento, como reforçou a gerente de enfermagem da Santa Casa, Elaine Virgínio. “Hoje, via de regra, é feito em São José dos Campos ou em Taubaté. A nossa ideia é de que a gente consiga aplicar esse protocolo de dor torácica para identificar os pacientes subnotificados e também atender esses que nós já conhecemos a demanda”.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?