Lorena recebe primeiro festival de teatro LGBTQIA+ da região

Festival de Teatro Amoreiras oferece oficinas artísticas e dez espetáculos gratuitos; apresentações vão até o próximo domingo

Apresentação do Festival de Teatro Amoreiras, que chega em Lorena com foco nos desafios da comunidade LGBTQIA (Foto: Divulgação Cia Amoreiras)

Da Redação
Lorena

Com apoio estadual, Lorena sedia nesta semana a primeira edição do Festival de Teatro Amoreiras. Voltado ao orgulho e ao combate contra o preconceito à comunidade LGBTQIA+, o evento terá diversas formas de manifestação artística e rodas de conversa sobre a temática.

Idealizado pelo morador de Lorena e diretor da Companhia Cássio B. de Teatro, Cássio Borges, o festival começa nesta quarta-feira (14) e segue até o próximo domingo (19). Contando com a participação de companhias teatrais da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) e de outros pontos do estado, o evento oferece dez espetáculos gratuitos à população. As apresentações serão divididas entre os palcos do Teatro Teresa D’Ávila, praça Arnolfo de Azevedo e Estação Juventude. Parte das peças possuem roteiros que tratam aspectos do universo LGBTQIA+ e seus desafios.

Além das apresentações teatrais, o festival oferece também oficinas de dança e de escrita criativa, performances artísticas, sarau de poesias, show musical e rodas de conversa sobre diversidade.

Através da proposta de promover o primeiro festival de teatro LGBTQIA+ da RMVale, o Amoreiras foi contemplado com recursos estaduais por meio do ProAC (Programa de Ação e Cultura), ferramenta de incentivo financeiro à cultura. O evento tem ainda o apoio da OS (Organização Social) Poiesis – Oficinas Culturais e da secretaria de Cultura e Turismo de Lorena.

O idealizador e responsável pelo Amoreiras destacou a importância do evento e revelou seus objetivos. “Pensar em um festival de teatro LGBTQIA+ é unir duas transformações: artísticas e sociais. É pensar que é possível ter um olhar naturalizado sobre a dimensão desses corpos. Então nós temos como objetivo, refletir sobre a quebra desses padrões, incluindo a comunidade LGBTQIA+ no meio social, e a arte é um canal imprescindível para isso. Esse evento é importante para que a gente amplie a discussão e para que o preconceito seja abolido”, ressaltou Borges.

A programação completa dos seis dias de apresentações conta com a peça inaugural “Ponto Gatilho”, da Companhia das Máculas, a parir das 20h, no teatro Teresa D’Ávila. Depois de várias apresentações, o festival chega ao fim no domingo, às 21h, com “Entre linhas e camadas” e o show de encerramento.

Os detalhes sobre o festival estão disponíveis no perfil oficial do evento no Instagram @festivalamoreiras.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?