Lorena lança terceiro decreto em uma semana alterando as medidas de quarentena

Nova mudança de posicionamento sobre flexibilização de atividades é motivada por parecer da Procuradoria Geral do Estado; cidade enfrenta manifestações por reabertura do comércio

Loja na Rua Principal, no Centro de Lorena, anuncia venda pelo Whatsapp, estratégia para driblar restrições (Foto: Francisco Assis)

Bruna Silva
Lorena

A incerteza tomou conta dos últimos dias para parte dos empresários de Lorena. O prefeito Sylvinho Ballerini (PSDB) assinou, nesta quinta-feira (28), o terceiro decreto da semana em relação às medidas de prevenção à Covid-19. A tentativa de abrir setores da economia, em uma estratégia mais branda, foi barrada pela Procuradoria Geral do Estado que prevê que seja atendida as recomendações da fase vermelha, estipulada pelo Governo do Estado.

Conforme a administração municipal, é preciso que as orientações do Governo São Paulo sejam seguidas, assim como as do Governo Federal de maneira supletiva, para que não haja pena de responsabilidade civil e criminal.

Ainda no início desta semana, assim como toda região, Lorena iniciou a fase vermelha com objetivo de diminuir a circulação do coronavírus e consequentemente as internações. Mas na quarta-feira (27), com a pressão dos comerciantes para uma maior flexibilização, o Município publicou um novo decreto mais permissível, garantindo atuação em parte das atividades consideradas não essenciais, como a de serviços, entre elas salões de beleza e barbearia.

Porém, um parecer da Procuradoria-Geral do Estado, divulgado nesta quinta-feira (28), aponta que as medidas estão em desacordo com o Plano São Paulo de retomada da economia. Dessa forma, Lorena retorna para a fase vermelha em que bares, shoppings, restaurantes e similares ficam impedidos de atender clientes presencialmente, assim como salões de beleza, barbearias e academias, além da proibição da realização de eventos. O novo texto garante a permissão para a realização de cultos religiosos, desde que as igrejas apresentem protocolos de atuação e respeitem as medidas de distanciamento e uso de máscaras de proteção.

A promessa da Prefeitura é de manter uma fiscalização efetiva em toda a cidade, principalmente em locais que há maior fluxo de pessoas, gerando aglomerações.

Lorena chegou nesta quinta-feira aos 2.884 casos confirmados do novo coronavírus, com 57 óbitos. A taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) segue em alta, beirando o colapso municipal, 14 dos 15 leitos estão ocupando, causando 93% de ocupação. A ocupação na enfermaria está em 58%. Dados epidemiológicos confirmam que mais de trezentas pessoas ainda aguardam a confirmação dos testes.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?