Enquanto aguarda restauração, Casa da Cultura segue com obras emergenciais

Prédio histórico recebe reparos na ordem de R$ 33 mil; cidade tem aporte para bancar restauro projetado em cerca de R$ 15 milhões

Sede da Casa da Cultura em Lorena, que tem reforma em andamento; restauração tem previsão de investimento de R$ 15 milhões (Foto: Lucas Barbosa)

Rafaela Lourenço
Lorena

Após 47 anos sem receber reformas significativas, o Solar Conde Moreira Lima, a Casa da Cultura de Lorena segue com reparos emergenciais para conter danificações na estrutura. Com cerca de R$ 33 mil, os serviços devem ser concentrados no telhado do prédio. Já a restauração milionária ainda segue sem data para início.

Segundo a Prefeitura, a última obra foi realizada em 1975 pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo), responsável pelo tombamento do prédio histórico da cidade. Enquanto o projeto para restauração completa segue em processos finais para assinatura, manutenções emergências são feitas para barrar a deterioração do local, que já não abriga os trabalhos administrativos e abertos a população, por parte da secretaria de Cultura e Turismo.

Segundo a diretora de eventos, Bianca Freitas, foi realizada uma licitação, mas a empresa declarou falência e consequentemente outro certame foi aberto. Agora, com contrato assinado de R$ 32.907,89, os trabalhos seguem concentrados nos telhados, infiltrações e calhas do prédio. “Temos dois funcionários que se revezam e cuidam do casarão, então internamente ele está bem cuidado, estamos atentos diariamente aos riscos que ele pode sofrer principalmente em relação as chuvas”, explicou.

A secretária de Obras e Planejamento Urbano, Rosana Reis, revelou que as manutenções tiveram início neste mês. As calhas já foram medidas para a troca, reparos urgentes na laje e em escoras já foram feitos e a empresa segue aguardando a chegada de novas calhas, já dobradas, para a substituição. “Previsão da conclusão, eu colocaria mais trinta dias, mas como é uma obra emergencial que a gente está escorando aqui, fazendo algum reparo ali, não sei te precisar a data certa porque pode ser que tenha uma prorrogação. Vai depender mesmo do estado dos reparos que teremos de fazer”.

Rosana ressaltou ainda que, mesmo com essa manutenção, não será possível retomar as atividades do prédio, somente após a restauração.

Restauro – Discutida desde a gestão passada, a restauração completa do casarão deve ser assinada ainda neste ano. Orçada inicialmente em R$ 8 milhões em 2019, a obra chegou ao valor de R$ 10 milhões no ano passado e agora tem uma previsão de chegar aos R$ 15 milhões. “Vamos fazer uma parceria com a Fundação e a ela vai fazer uma com a arquitetura plena e isso já em meados de fechamento também. Aí sim vai ser feita a captação de recursos”, explicou a diretora ao citar que a Prefeitura também deve auxiliar nesta captação financeira junto a deputados estaduais e federais.

A previsão é de que o investimento seja entre R$ 12 milhôes a R$ 15 milhões, mas ainda sem definição de gastos e início dos trabalhos.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?