Servidores lotam Câmara antes de reunião com prefeito

Trabalhadores se manifestam contra perdas salariais antes de apresentação da proposta em reunião na sexta

Entre os cem servidores no plenário, Névio Burgos questiona sobre metodologia do plano de cargos (Foto: Leandro Oliveira)
Entre os cem servidores no plenário, Névio Burgos questiona sobre metodologia do plano de cargos (Foto: Leandro Oliveira)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

Cerca cem servidores municipais de Guaratinguetá foram até a Câmara de Guaratinguetá na última quarta-feira participar de uma reunião aberta sobre o Plano de Cargos e Salários, que está prestes a ser enviado ao Legislativo. Alvo de discussão, o plano deve ser encaminhado nos próximos dias.

Na tribuna, a secretária de Relações Institucionais, Gabriela Tobar destacou que, de acordo com o plano, ao invés de 61%, 30% sofreriam perdas salariais.

Gabriela revelou que uma empresa está fazendo o estudo dos pisos salariais. O presidente da Câmara de Guaratinguetá, Marcelo Coutinho, o Celão (PSD), avaliou o encontro como positivo. Ele propôs a reunião com os servidores há dez dias, e acredita que o desfecho das tratativas está próximo. “Agora avançamos para a discussão final que é a ansiedade dos servidores, que é sobre os números, os valores dos pisos salariais”.

Povo fala – Durante a sessão foi aberta uma tribuna popular e nove servidores se inscreveram para questionar os representantes da Prefeitura e do Sisemug (Sindicato dos Servidores Municipais).

O servidor da secretaria de Tributação, Névio Burgos frisou como os trabalhadores esperavam pela explicação sobre a proposta. “Na realidade, a gente precisava da metodologia para entender como foi montado esse plano. Não adianta nada a gente não ter conhecimento de como foi feito e brigar pelo que depois? Foi de grande valia a apresentação para entendermos o que vai ser implementado, e posteriormente, se houver algo para ser discutido com o Executivo, a gente tem munição para cobrar”, avaliou.

Atualmente o orçamento da Prefeitura está 49% comprometido com o pagamento da folha salarial dos servidores. A margem de segurança de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal é de 51%. O número é variável de acordo com a arrecadação do município. Se a arrecadação cai, o percentual da folha salarial, obrigatoriamente sobe, já que os valores são inalterados.

Segundo informações oficiais do Executivo, existem 2.850 servidores municipais e 45 cargos comissionados na atual gestão. O gasto com o pagamento dos servidores é de R$ 10 milhões por mês. O Executivo não soube informar, dentro desse número, qual o percentual gasto com os comissionados e com os servidores.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?