Janeiro marcado por avanço no número de mortes por Covid-19 em Guaratinguetá

Munícipio confirma mais quatro óbitos na última semana; número de infectados cresce 57% no primeiro mês do ano

Novos leitos disponibilizados em Guará; cidade tem aumento no número de mortes por Covid-19 (Foto: Divulgação PMG)

Lucas Barbosa
Guaratinguetá 

Com mais quatro mortes confirmadas no último domingo (31), Guaratinguetá atingiu em janeiro a preocupante marca de 24 vítimas fatais da Covid-19. A cidade registrou no primeiro mês deste ano 1.845 novos contaminados pelo novo coronavírus.

De acordo com dados da Prefeitura, as quatro mortes ocorreram entre os últimos dias 25 e 31, referentes a idosos que sofriam de comorbidades.

O primeiro morador a não resistir às complicações da Covid-19 trata-se de um homem de 73 anos. Os dois seguintes foram uma mulher de 80 anos e um homem 82 anos no último sábado (30). Já no último domingo, foi a vez de um paciente de 76 anos.

As 24 mortes de janeiro correspondem a 26% do registrado pelo município desde o início da pandemia, que é de 94 casos.

Já o número de contaminados cresceu 57% no primeiro mês de 2021, em comparação ao montante contabilizado até dezembro de 2020, saltando de 3.188 para 5.033. Segundo o mais recente boletim divulgado pela secretaria de Saúde de Guará, do total de infectados, 3.574 se curaram, 1.342 permanecem em isolamento domiciliar e 25 estão internados, sendo 14 na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e 11 na enfermaria.

Além do Pronto Socorro, Guará tem o Hospital Campanha como porta de entrada para o atendimento de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus.

No último dia 29, a Prefeitura anunciou que até o fim desta semana implantará sete leitos de UTI no Hospital de Campanha, que até o momento atende apenas casos iniciais da doença.

O preocupante aumento de infectados em janeiro não foi exclusividade de Guará, já que os boletins divulgados pelas demais 38 cidades da RMVale (Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte) apontam que a área no período sofreu um crescimento de 140% de contaminados em comparação ao acumulado até dezembro, passando de 15.468 para 38.112 casos.

O avanço da pandemia no comparativo entre os últimos dois meses também é comprovado através do aumento de 145% de mortes, saltando de 196 para 480 vítimas. A região contabiliza 2.155 óbitos desde o início da pandemia.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?