Ação da Saeg tenta facilitar redução de inadimplência em Guaratinguetá

Mais de 1,2 mil residências estão com renegociações atrasadas; cortes devem ser retomados após fim da quarentena

Conta de água com moradora de Guará; Saeg intensifica atendimentos para renegociação de dívidas (Foto: Leandro Oliveira)

Da Redação
Guaratinguetá 

Com um índice de inadimplência entre os moradores em quase R$ 4 milhões, a Saeg (Companhia de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá) busca alternativas para reduzir o déficit e garantir saúde econômica durante a crise. O valor foi acumulado durante o período de pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Em Guaratinguetá, há uma lei municipal que assegura que o contribuinte não tenha o fornecimento de água cortado durante o período de quarentena, estabelecido pelo Governo do Estado de São Paulo, e decretado pela Prefeitura, devido a pandemia da Covid-19.

Para evitar um grande número de cortes no fornecimento de água da população e facilitar negociações, a Saeg tem aberto canais para renegociar as dívidas e os pagamentos dos débitos. Mas o número de pessoas que sequer estão cumprindo com as negociações estabelecidas anteriormente, já ultrapassa os 1,6 mil casos. “Estamos recebendo cobranças do Tribunal de Contas. Somos uma empresa estatal, empresa de economia mista e devemos prestar contas ao TCE e ao Ministério Público. Só de parcelamentos em atraso são 1620, que dá essa quantia próxima a R$ 4 milhões”, contou o diretor comercial da Companhia, Saluar Magni.

Ainda de acordo com o diretor, a inadimplência já existia antes da pandemia, mas a situação se agravou no ano passado e ficou ainda pior nos últimos meses. “Uma quantidade excessiva, que piorou na pandemia. A Saeg foi impedida de exercer o corte por falta de pagamento e algumas pessoas se aproveitaram para atrasar todas as suas contas. A gente tem pessoas que não pagaram suas contas desde abril de 2020 até agora”, concluiu.

Os parcelamentos são feitos apenas presencialmente na rua Almirante Barroso, nº 188, no Centro de Guaratinguetá, a antiga Rua da Palha. A Saeg tem estudado caso a caso, de acordo com a realidade de cada contribuinte, para definir o número de vezes que o débito pode ser parcelado.

Sem corte – A Saeg está impedida por lei municipal em cortar o fornecimento de água de contribuintes de Guaratinguetá durante o período de quarentena. O projeto de lei, que assegura o fornecimento, foi aprovado no ano passado, e havia sido apresentado pelo vereador Pedro Sanini (PSC) em abril de 2020.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?