Cidades da região entram na rota da edição 2019 do Circuito Sesc de Artes

Projeto cultural inclui apresentações gratuitas do mundo das artes no Vale e do Litoral

A banda Maglore prepara shows especiais para o Circuito Sesc de Artes 2019; grupo passa por Lorena, Cruzeiro e Areias no final de março (Foto: Azevedo Lobo)
A banda Maglore prepara shows especiais para o Circuito Sesc de Artes 2019; grupo passa por Lorena, Cruzeiro e Areias (Foto: Azevedo Lobo)

Caroline Meyer
Região

O Circuito Sesc de Artes, que promove a apresentação gratuita de grupos e companhias de artes visuais, passará por sete cidades da região entre o final de março e a primeira quinzena de abril. Lorena será a primeira a receber o projeto.

A iniciativa é uma realização do Sesc de São Paulo, e promove a difusão de atividades artísticas ligadas ao circo, dança, música, teatro, literatura e artes em gerais. Com uma equipe que inclui a participação de 490 artistas brasileiros, as performances são realizadas em locais com maior movimentação nos municípios, sempre no mesmo horário, das 16h às 21h30.

O ponto de partida das apresentações será em Lorena, que receberá os artistas no próximo dia 29, na praça Doutor Arnolfo de Azevedo. Logo em seguida, o Circuito deve se apresentar em Areias, na praça 9 de Julho, e depois em Cruzeiro, com apresentações no Centro na praça 9 de Julho.
Em sua semana de estreia, a programação conta com a banda baiana Maglore, que nos shows do projeto realiza uma homenagem a Tim Maia num som com fortes influências da Tropicália, movimento da MPB do final dos anos 1960, liderado por artistas como Caetano Veloso e Gilberto Gil e que propunha uma mescla dos sons nacionais com o uso de instrumentos do rock americano. Na parte teatral, o espetáculo da Companhia Cênica resgata a história de cidades que são alagadas em meio a construção de usina hidrelétrica em “Terra Abaixo, Rio Acima”.

Haverá também oficinas como a do Projeto Catado, desenvolvido pela artista baiana Vânia Medeiros, que propõe a criação de um livro a partir de uma técnica de encadernação simples de um nó, e a utilização de fragmentos de textos literários, fotos, fitas adesivas e papéis coloridos. Também haverá o espetáculo da companhia argentina Mano a Mano Circus, que mescla a apresentação teatral tradicional a acrobacias, polos chinês e malabarismo com pitadas de humor e música ao vivo em “100% Loucos”. Outras oficinas incluem princípios de mecânicas para a construção de peças de madeira de reuso, e o funcionamento da produção de uma filmagem, no “Set na Praça”, oferecido pelo Instituto Querô.

Na semana seguinte será a vez de Pindamonhangaba ser palco da ação, no dia 5, à rua Doutor Mateus Romeiro, nº1 na praça Padre João Faria de Fialho (Praça do Quartel), seguida de Guaratinguetá, em que o circuito passa no dia 7, na avenida Presidente Vargas. Nesse segundo bloco, as atrações incluem a companhia de dança Afrooyá, com um espetáculo de danças de matrizes africanas, o Didêmanda e o grupo de sapateado As Graças, com o espetáculo “Quem vem de Longe”.

O teatro da companhia carioca Cetro Teatral Etc e Tal, com a peça “Onipotência do Sonho”, de inspiração surrealista, também está na programação. O circuito conta ainda com show do Coletivo de Violino Popular. O cronograma das oficinas inclui mediação de leitura, bordado e diferentes técnicas de carimbo.

A última semana das atividades da ação, realizada desde 2008, será em duas cidades do Litoral Norte. Para o encerramento, a programação inclui presenças especiais como da cantora carioca Mahmundi e sessões de cinema em realidade virtual, numa parceria do Sesc com a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Esta edição do Circuito Sesc de Artes tem ainda aulas de dance hall, montagem de brinquedo e criação de stop motion (técnica de animação), ateliê com lã e reinterpretação de palavras da língua portuguesa.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?