Aparecida registra seis óbitos nos primeiros dias de junho e leitos de UTI seguem com 100%

Unidade de Tratamento Intensivo segue em 100%  desde do começo do ano, com mais da metade dos números de mortes registrados no mês
anterior

A Santa Casa de Aparecida que atende casos de Covid-19 e está com 100% de ocupação dos leitos (Foto: Marcelo A. dos Santos)

Marcelo Augusto dos Santos
Aparecida

Com seis óbitos nos nove primeiros dias de junho, a Santa Casa de Misericórdia de Aparecida segue desde do começo do ano com 100% dos leitos da UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) ocupados para o tratamento de pacientes com covid-19. Além da própria Aparecida e a demanda de turistas aos finais de semana e datas religiosas, o hospital é referência no atendimento para as cidades de Potim e Roseira, disponibilizando dez leitos para UTI e trinta para enfermaria.

Durante os trinta dias do mês de abril, a doença vitimou 27 pessoas e se tornando o mês mais mortal desde do começo da pandemia do novo coronavírus. No entanto, as perdas diminuíram para oito em maio, mas voltou a subir e atingiu mais da metade dos números registrados no mês anterior, o que deixou o hospital em alerta segundo o administrador da Santa Casa, Frei Bartolomeu Schultz. “Neste ano de 2021, desde de janeiro nos mantivemos ocupação praticamente 100% de todos os leito (UTI). No cenário atual (terça-feira) ela está com 90%, pois temos uma vaga e 70% de ocupação de enfermaria”, informou o Frei Bartolomeu Schultz.Ainda segundo Schultz, os pacientes que estão dando entrada na Santa Casa neste mês de junho, estão bastante debilitados e as radiografias
apresentam o pulmão comprometidos. “A gente tem percebido que as pessoas que tem vindo buscar atendimento, a maioria está precisando ficar internada, então isso nos preocupa sim, porque estamos entrando no inverno e já é comum termos várias doenças com sintomas gripais que podem ser de Covid também”.

No último sábado, o Governo do Estado de São Paulo realizou o Dia D da vacinação contra a Covid-19, para as pessoas que ainda não receberam a segunda dose do imunizante.

De acordo com a secretaria de Saúde de Aparecida, apenas quatro pessoas foram tomar a segunda dose e ainda há 36 pessoas. Mas a
pasta acredita que a baixa procura no Dia D reflete a questões como a morte de pessoas, que deveriam receber a segunda dose, mas faleceram, e o recebimento da imunização em outras cidades e não que as pessoas simplesmente estão deixando de completar o esquema vacinal contra a Covid-19. “Aqui em Aparecida, a gente faz uma busca ativa das pessoas que não compareceram e aí a gente faz um levantamento para saber o porque ela não compareceu”, explicou a secretária Simone Oliveira.

Ainda segundo a secretária, o governo municipal planeja realizar uma testagem em massa na cidade e aguarda a chegada de oitenta mil teste. “Nós ainda não iniciamos o nosso bloqueio de transmissão, mas ele está no calendário nosso e pretendemos iniciar no máximo em 15 dias.

Em números – De acordo com o  boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (10), Aparecida tem 3033 casos confirmados, com 2875 recuperados (95%), 57 pessoas em isolamento domiciliar e 93 óbitos. Entre os suspeitos, 78 pessoas com sintomas de síndrome gripal seguem em monitoramento nas residências e sete pacientes estão internados na Ala Covid da Santa Casa de Misericórdia.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?