Atos e Fatos

“Eu sou o que me cerca. Se eu não preservar o que me cerca, eu não me preservo.”

José Ortega y Gasset

Turbinas eólicas; professor Márcio Meirelles fala sobre os desafios da Economia Verde (Foto: Reprodução EBC)

Professor Márcio Meirelles

BRASIL: GIGANTE VERDE EM ASCENSÃO?

A Economia Verde surge como uma resposta crucial aos desafios do século XXI, combinando desenvolvimento econômico com a preservação ambiental e justiça social.

 O Brasil, com seus vastos recursos naturais e matriz energética renovável, desponta como um gigante verde em ascensão, com um potencial inigualável para liderar essa transformação global.

A Economia Verde vai além da mera sustentabilidade ambiental. Ela busca um modelo econômico que gere prosperidade para todos, respeitando os limites do planeta e promovendo a inclusão social. Isso se traduz em investimentos em setores como energia renovável, agricultura sustentável, bioeconomia, turismo ecológico, transporte verde e gestão eficiente de recursos.

O Brasil possui uma série de vantagens que o colocam na vanguarda da Economia Verde.

O país detém 12% da água doce do planeta, 22% das florestas tropicais e um enorme potencial para geração de energia eólica e solar. Mais de 80% da matriz energética brasileira é proveniente de fontes renováveis, como hidrelétrica, eólica e solar, um diferencial enorme em um mundo cada vez mais dependente de combustíveis fósseis.

O Brasil é líder mundial na produção de biocombustíveis, como o etanol, e possui um enorme potencial para expandir sua bioeconomia, que inclui produtos como biomateriais, bioprodutos químicos e bioenergia.

Somos um dos maiores produtores agrícolas do mundo e temos um grande potencial para aumentar a sua produtividade de forma sustentável, através de práticas como a agricultura de precisão e a integração lavoura-pecuária-floresta.

 A rica biodiversidade brasileira, aliada à beleza natural do país, oferece um enorme potencial para o desenvolvimento do turismo ecológico.

 A demanda por produtos e serviços verdes cresce exponencialmente no mercado global, abrindo portas para empresas brasileiras que atuam nesse segmento.

Apesar do enorme potencial, o Brasil ainda enfrenta desafios para se tornar um líder na Economia Verde.

A necessidade de investimentos em infraestrutura, pesquisa e desenvolvimento, qualificação profissional e combate ao desmatamento são alguns dos obstáculos a serem superados.

No entanto, as oportunidades são imensas. A Economia Verde pode gerar milhões de novos empregos, impulsionar o crescimento econômico e promover o desenvolvimento social no Brasil.

Além disso, pode fortalecer a imagem do país no exterior e contribuir para a solução dos grandes desafios globais, como as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade.

Entretanto, falta uma regulamentação ambiental robusta e eficiente para que o Brasil possa aproveitar ao máximo seu potencial na Economia Verde e gerar os benefícios mencionados: oportunidades de trabalho, renda e crescimento econômico.

 A legislação ambiental brasileira é complexa e fragmentada, o que dificulta sua aplicação e fiscalização; a burocracia excessiva nos processos de licenciamento ambiental, moroso e oneroso, desestimulando investimentos; a fiscalização ambiental é insuficiente para coibir atividades ilegais que causam danos ao meio ambiente e a falta de recursos humanos e financeiros nos órgãos ambientais brasileiros para realizar suas funções de forma eficaz.

O país precisa urgentemente simplificar a sua legislação ambiental tornando-as mais claras e objetivas; a desburocratização do licenciamento ambiental; fortalecimento da fiscalização e alocação de recursos nos órgãos ambientais.

No mundo, exemplos de países que se destacaram na Economia Verde como: Costa Rica, investiu em energia renovável, reflorestamento, turismo; Dinamarca, líder mundial em energia eólica e a Finlândia na bioeconomia, produção de biocombustíveis e produtos bioquímicos a partir de recursos florestais.

Temos um caminho a percorrer com etapas conseguidas como: somos o 4°país em número de emprego na área solar; a Embrapa desenvolve tecnologias de ponta para a agricultura sustentável e fixação biológica de nitrogênio; o Banco do Brasil oferece linhas de crédito para a Economia Verde e o SEBAE e CNI oferecem programas de apoio para micro e pequenas empresas que desejam investir em sustentabilidade.

O Brasil está diante de uma oportunidade histórica de se tornar um líder global na Economia Verde. Ao aproveitar seus recursos naturais, investir em inovação e fortalecer suas políticas públicas, o país pode construir um futuro mais próspero, sustentável e inclusivo para todos.

Compartilhar é se importar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?