Com mais de 135 mil casos de Covid-19, cidades da RMVale registram festas clandestinas de Carnaval

Ao menos três municípios identificaram aglomerações durante os últimos quatro dias; estabelecimentos foram autuados pela Vigilância Sanitária

Festa clandestina flagrada em Pinda; região tenta reforçar fiscalização durante a pandemia (Foto: Reprodução PMP)

Bruna Silva
RMVale

Apesar do cancelamento do ponto facultativo de Carnaval para evitar aglomerações de pessoas, Pindamonhangaba, Ubatuba e Caraguatatuba registraram festas clandestinas nos últimos dias. A preocupação das cidades é que os casos aumentem ainda mais após o período carnavalesco.

Pindamonhangaba foi uma das cidades a registrar festas clandestinas. Os responsáveis pelos eventos foram autuados pelas autoridades do município, no fim de semana. A ação contou com o apoio da Vigilância Sanitária e Rendas, além da PM e da GCM (Guarda Civil Metropolitana). Dois eventos receberam autuações, um na região rural, no Ribeirão Grande e outro no Santana.

Segundo a Vigilância, nos dois locais haviam flagrantes de aglomerações, com pessoas em pé e sem o uso de máscara de proteção. Apesar do período carnavalesco ter acabado, a Prefeitura pretende continuar com as fiscalizações ao longo da semana. “É importante que as denúncias cheguem com o máximo de informações possíveis sobre o local a ser realizado, para que a ação surta o efeito desejado”, comentou o diretor da Vigilância Sanitária, André Marcos Pereira.

No último sábado (13), em Caraguatatuba, uma festa chamada de “American Pie Fest”, no bairro Golfinhos foi fechada. Cerca de 150 jovens estavam no local sem máscaras de proteção ou qualquer outro tipo de prevenção ao vírus. Devido à desobediência às medidas de contenção da doença, os responsáveis foram multados em R$ 7,7 e o dono local em R$ 3,7. A ocorrência foi acompanhada por policiais militares, Vigilância Sanitária e outros órgãos do Município. Mais dois estabelecimentos comerciais, um bar e um quiosque, também sofreram penalidades por desobrigação ao decreto. Os locais estavam vendendo bebidas alcóolicas após o horário permitido pelo decreto. A Prefeitura estima que mais de duzentos comércios foram vistoriados e setenta pessoas abordadas, principalmente sem máscara.

Em Ubatuba, a partir das denúncias, foram interditados uma pousada em Itamambuca e um bar no Sertão da Quina. Outras cidades como Cruzeiro, Aparecida e Potim não registraram denúncias formalizadas sobre festas clandestinas. A reportagem buscou informações com as prefeituras de Lorena e Guaratinguetá, mas não obteve respostas até o fechamento desta matéria.

Novas variantes – São José dos Campos confirmou, nesta quarta-feira (6), ter ao menos seis casos das novas variantes do vírus. A investigação da secretaria de Saúde aponta quatro infecções da cepa que começou a circular no Amazonas e duas com variantes de outros estados. Uma das características da variante amazonense é a capacidade maior de transmissão. A confirmação das novas cepas acende o alerta para os municípios da região, que já enfrentam a elevação dos casos desde janeiro.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?