Guará lidera mapa da dengue na região

Prefeitura tenta evitar epidemia da dornça na cidade por meio do arrastão e operação cata-bagulho. (Foto: Assessoria)
Prefeitura tenta evitar epidemia da doença na cidade por meio do arrastão e operação cata-bagulho. (Foto: Assessoria)
Carlos Pimentel
Guaratinguetá

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, na última quinta-feira, 16 municípios da região estão em alerta ou em situação de risco para ocorrência de epidemia de dengue. Os números são do Lira (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti). Participaram voluntariamente da coleta de dados os 27 municípios do Vale. O risco de epidemia foi identificado em Cruzeiro, Guaratinguetá, Ilhabela e Taubaté.  Em Guará, o índice de infestação medido foi de 7,4, considerado muito alto e o maior da região.

O levantamento tem como objetivo orientar as ações de combate aos vetores e ao mosquito Aedes Aegipty, causador da dengue e chikungunya.

As cidades que detectaram focos de dengue em 1 a cada grupo de 100 prédios, são incluídas na categoria  satisfatório. De 1,1 a 3,9 já é considerado estado de alerta. A partir do índice 4 é risco de epidemia.

Segundo o coordenador da Vigilância Epidemiológica, Felipe Guedes, os dados são fornecidos pelo próprio município, proveniente da avaliação feita no início do ano na cidade. A administração municipal está trabalhando para evitar que ocorra uma epidemia na cidade. “Os funcionários contratados da Frente de Trabalho estão sendo remanejados para atuarem no combate a dengue, e esperamos em abril estar com sessenta agentes trabalhando nas ruas. A Prefeitura de Guaratinguetá está reforçando os trabalhos de prevenção e combate à dengue por meio de agentes de saúde, e nos finais de semana continua realizando o arrastão contra o mosquito, além da Operação Cata-Bagulho nos bairros”, comentou.

Guedes ressaltou que historicamente na cidade, os meses de março e abril são os que registram maior pico de casos da doença, e que a população deve estar atenta e fazer sua parte. “Foi detectado que em quase 50% dos casos a larva foi encontrada nos ralos dos imóveis. A população tem de ficar atenta a todo recipiente que possa estar acumulando água. Os ralos externos são os grandes vilões.”

Desde janeiro deste ano já foram registradas 210 notificações suspeitas de dengue em Guará, com 35 casos positivos autóctones; 17 casos positivos importados; 70 casos negativos; e 88 casos aguardando resultado laboratorial.

No ano passado foram confirmados 83 casos (59 autóctones e 24 importados). Em 2013, foram 142 casos, e no ano anterior, em 2012, a cidade chegou a confirmar 2.772 casos.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?