Família pede apoio para compra de colete postural para criança com tumor raro em Pinda

Menina de seis anos espera ajuda da Prefeitura desde 2016; mãe cria campanha para arrecadar recursos

A pequena Maria Clara brinca com a mãe, que busca ajuda para comprar colete de correção postural (Foto: Reprodução)
A pequena Maria Clara brinca com a mãe, que busca ajuda para comprar colete de correção postural (Foto: Arquivo Pessoal)

Lucas Barbosa
Pindamonhangaba

Vítima de uma severa escoliose nas costas, causada por um raro tipo de tumor, a moradora de Pindamonhangaba, Maria Clara Antônio Bonafé, 6 anos, busca apoio do poder público e da população para a compra de um colete de correção postural. A recomendação médica é que a paciente use o aparelho, orçado em pouco mais de R$ 2 mil, até os 16 anos.

De acordo com a mãe da criança, a auxiliar de enfermagem, Maria de Fátima Antônio, 47 anos, a filha nasceu com um enorme tumor benigno nas costas, sendo necessária, cinco meses depois, a realização de uma delicada cirurgia de remoção.

Atendida pelos médicos do Gaac de São José dos Campos (Grupo de Apoio à Criança com Câncer) e do Hospital Infantil Menino Jesus, ligado ao Hospital Sírio Libanês, foi constatado que o tumor havia retornado pouco mais de dois anos após a cirurgia.

Mesmo depois de uma nova intervenção, o tumor reapareceu e desde então está comprimindo a coluna de Maria Clara. “Os médicos do Sírio Libanês me falaram que nunca haviam visto um caso semelhante. Já que o tumor não para de crescer, a Clara está com uma escoliose gravíssima, que piora a cada ano. Diversos médicos me orientaram a comprar o colete de Milwaukee para melhorar a coluna dela, mas infelizmente até hoje não consegui”, lamentou Maria de Fátima, que sustenta sozinha sua família.

A auxiliar de enfermagem afirmou que no fim de 2016 buscou o apoio da Prefeitura de Pindamonhangaba, que na época era comandada pelo ex- prefeito Vito Ardito (PSDB), mas foi informada que o Município não possuía verba para compra do colete de Milwaukee, usado para o tratamento de correção postural.

Maria de Fátima revelou ainda que no fim de 2017, encontrou o atual prefeito Isael Domingues (PR) em um estabelecimento comercial de Pinda e explicou a situação da filha, que foi brevemente examinada por ele. Na sequência, o chefe do Executivo, que é medico, telefonou para a diretora de Assistência Social, Mariana Prado, designada a dar continuidade no caso. “Além de explicar que o pedido do colete estava na fila de espera, a Mariana falou que no momento não tinha verba para a compra. Depois de um tempo sem informação, fiz um protocolo na Prefeitura perguntado em que lugar da fila a Clara estava e em janeiro me mandaram uma carta dizendo que o caso foi analisado pela Unidade de Fisoterapia Celina Cotait”, explicou a mãe.

No documento, a diretora de Assistência Social informa em 4 de dezembro de 2017 que conforme manifestação da Unidade de Fisoterapia Celina Cotait “há a impossibilidade de sua solicitação ser aceita pela Rede Lucy Montoro devido às restrições de atendimento”. O comunicado ressalta ainda que a solicitação encontra-se em lista de espera na “Celina Cotait”, e a secretaria de Saúde não possuía recursos financeiros para o exercício de 2017.

Além de não revelar o número em que o pedido estava na fila, o documento também não esclareceu quais seriam às restrições de atendimento apontadas pela Unidade.

Cansada de esperar ajuda do poder público, Maria de Fátima criou no último dia 3 uma campanha de arrecadação no site de colaboração Vakinha. Com o nome “Colete Postural pra Maria Clara”, até à tarde da última sexta-feira somente 1.6 % da meta, que é de R$ 2.5 mil, havia sido atingida.

Além da plataforma, os interessados em ajudarem na compra do colete podem entrar em contato com a mãe da criança através do contato (12) 98157-9905.

Executivo – Além de informar que o pedido de Maria Clara está na fila de atendimento desde outubro de 2016, em nota oficial a Prefeitura de Pinda afirmou que a partir de 2018 iniciará as aquisições de órteses, próteses e cadeiras de rodas, que serão entregues respeitando a ordem cronológica dos pedidos de pacientes, que datam desde 2014.

O Executivo revelou ainda que a criança será convocada para uma reavaliação.

Compartilhar é se importar!

Um comentário em “Família pede apoio para compra de colete postural para criança com tumor raro em Pinda

  • 19 de fevereiro de 2018 em 06:24
    Permalink

    Graças a DEUS e a mãe que tem. A Maria Clara conseguiu o dinheiro para o colete. Mas parabéns para vcs aí do atos. Acho que uma das finalidades do jornalismo é essa mesmo. Ou seja, divulgar e se solidarizar com histórias como essa da Maria Clara.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?