Potim e Dnit tentam acelerar acesso à Dutra

Projeto criado em 2012 tinha expectativa de entrega em três anos

Acesso Potim Portal velho (2)
Atual portal da cidade (Foto: Arquivo Atos)

Da Redação

Potim

Um dos projetos chaves do governo de Potim, no início do mandato, quando a cidade ainda era administrada por Benito Thomaz, morto há pouco mais de um ano, a construção de um acesso direto da cidade para a rodovia Presidente Dutra deve voltar à tona, com o andamento do projeto de engenharia. O atual prefeito Edno Felix aguarda o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) para acelerar o trabalho.

Emancipada de Guaratinguetá há cerca de duas décadas, a cidade, que fica entre a Terra de Frei Galvão e Aparecida, não possui um acesso direto à rodovia, ligação entre Rio de Janeiro e São Paulo e diferencial na busca de investimento empresarial.

Em 2013, Prefeitura e Denit assinaram a ordem de serviço para elaboração do projeto, que ainda não saiu do papel.

No final de junho, a Superintendência Regional no Estado de São Paulo encaminhou ao prefeito um ofício solicitando a emissão da Certidão de Uso do Solo para prosseguir com a elaboração do projeto, que foca a execução da implantação e pavimentação da ligação rodoviária de Potim à Dutra.

A Divisão de Planejamento da Prefeitura emitiu a certidão, encaminhada à Superintendência Regional.

O trabalho de elaboração do projeto básico é realizado pela empresa Roma Engenharia e Consultoria Limitada, contratada pelo Dnit por meio de licitação.

A morte de Benito, vítima de um atentado na praça central da cidade, em julho de 2014, foi apenas um dos obstáculos do projeto. O projeto inicial, elaborado em 2012, tinha prazo de 240 dias para a elaboração por parte da Roma Engenharia. A expectativa na época era para entrega em cerca de cinco meses e término da obra em até três anos.

A proposta de acesso, que ficará próximo ao Seminário São Geraldo, na região central, conta com a construção de 4,5 quilômetros de rodovia à construção de uma ponte sobre o Rio Paraíba e um viaduto sobre a linha férrea.

Compartilhar é se importar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?