Prefeitura denuncia montagem incompleta de kits escolares em Pinda

Município deve investir cerca de R$ 130 mil para suprir falta de materiais; secretário crítica governo anterior

O debate sobre os kits escolares levantaram nova polêmica na Prefeitura de Pindamonhangaba; secretário encontrou 12 mil kits comprados pela gestão anterior (Foto: Arquivo Atos)
O debate sobre os kits escolares levantaram nova polêmica na Prefeitura de Pindamonhangaba; secretário encontrou 12 mil kits comprados pela gestão anterior (Foto: Arquivo Atos)

Lucas Barbosa
Pindamonhangaba

A Prefeitura de Pindamonhangaba revelou na manhã da última segunda-feira que encontrou mais de 12 mil kits escolares, montados pela antiga gestão municipal, incompletos. O secretário de Educação, Júlio Valle, criticou a “herança” e afirmou que está buscando uma saída para evitar que os alunos da rede municipal sejam prejudicados no início do ano letivo.

No final de dezembro, a secretaria de Educação de Pinda, na época comandada por Aparecida Pedroso, anunciou que o Município havia concluído o processo de montagem dos kits escolares que seriam utilizados pelos estudantes da rede municipal a partir de fevereiro de 2017. Mas essa não foi a realidade encontrada pela nova chefia da pasta, ao ter acesso ao depósito de suprimentos escolares.

Valle explicou que em setembro de 2016 o Tribunal de Contas do Estado impugnou alguns itens do processo licitatório para a compra dos materiais escolares, devido à suspeita de um direcionamento de compras. Posteriormente, os gestores regionais e das unidades escolares foram comunicados que os kits seriam distribuídos normalmente no início do ano seguinte, o que os levou a acreditar que o material completo havia sido adquirido. “A antiga gestão chegou a divulgar amplamente que os kits foram montados corretamente, mas infelizmente isto não passou de um artificio político para ludibriar a população. Isso que eles fizeram foi um grande absurdo e acabou atrapalhando parcialmente o início do nosso trabalho á frente da pasta”, criticou Valle.

O levantamento dos materiais apontou que os kits não contam ao todo com 6.759 colas coloridas, 3.050 massas de modelar e 2.300 lápis de cor tipo jumbo.

Para reverter a situação, o secretário revelou que o Município terá que investir cerca de R$ 130 mil na compra dos materiais ausentes no kit. “Faremos uma compra emergencial para suprir a necessidade inicial das aulas. Também estamos estudando comprar uma determinada quantidade, que deverá ser usada de forma compartilhada pelos alunos até que os materiais próprios sejam entregues”, finalizou.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?