Lorena tenta destravar recursos federais para concluir três obras da Educação

Executivo participa de reunião no Ministério, em Brasília, em busca de liberação de repasses; construção de quadra esportiva e creche segue parada

Obra da construção de creche no Santa Edwiges, esperado para ampliação da rede pública de Lorena (Foto: Lucas Barbosa)
Obra da construção de creche no Santa Edwiges, esperado para ampliação da rede pública de Lorena (Foto: Lucas Barbosa)

Lucas Barbosa
Lorena

Buscando a liberação de recursos federais para a conclusão de três obras em Lorena, o secretário de Obras e Planejamento Urbano, Marcos Anjos, participou na última semana de uma reunião com representantes do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), em Brasília.

Além de uma quadra poliesportiva coberta, o atraso nos repasses impossibilita a entrega de duas creches.

O encontro, realizado no último dia 7, contou com a presença do diretor do FNDE, Leandro José Damy, e da deputada federal Pollyana Gama (PPS), responsável pela intermediação da reunião.

Anjos apresentou relatórios sobre o andamento das obras, apontando a urgência da liberação dos recursos restantes para a finalização dos serviços. “O Damy explicou as dificuldades financeiras do Ministério da Educação e informou que dará prioridade para a liberação de recursos para Lorena, pois nossas obras estão avançadas e também porque apresentamos pessoalmente nossas necessidades. A expectativa é que os recursos sejam destinados ainda neste primeiro semestre”.

Orçada em R$ 515 mil, a construção de uma quadra coberta na escola municipal Aparecida Machado Guedes, no Vila dos Comerciários 1, é a que está há mais tempo paralisada. Iniciada no primeiro semestre de 2016, a obra, que já conta com cerca de 70% do serviço executado, foi interrompida em dezembro do mesmo ano.

A construção da creche do Vila dos Comerciários 2, que teve início em fevereiro de 2017, necessita de um investimento de R$ 1,168 milhão, mas até o momento o Governo Federal repassou apenas R$233 mil, representando 20%. O serviço está parado, dificultando o cumprimento do prazo de entrega que é de até o fim do primeiro semestre de 2018.

Já a creche do Santa Edwiges, orçada em quase R$ 1,8 milhão, é a única que segue em andamento, mas isso deve mudar nos próximos dias. “Só recebemos 20% da verba que deveria ser enviada através do FNDE. Acredito que em breve a empresa responsável paralisará suas atividades, já que necessitam de mais recursos para darem prosseguimento às demais etapas da construção. A Prefeitura está fazendo possível para que a população conte com estas melhorias na Educação o mais rápido possível, mas dependemos destes recursos federais”, explicou Anjos.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?