Privatizado, Edu Chaves vira aposta para decolar turismo e economia de Guará

Após leilão na Bolsa de Valores, consórcio NW e Voa SE passam a administrador 22 aeroportos; bloco sudeste é arrematado por R$ 14,7 milhões

Batida de martelo simbólica feita por representantes do estado de São Paulo (Foto: Reprodução Gesp)

Fabiana Cugolo
Guaratinguetá

O Aeroporto de Guaratinguetá, Edu Chaves, foi leiloado na última quinta-feira (15) na B3 – Bolsa de Valores de São Paulo. A cidade faz parte do bloco sudeste, composto por outros dez aeroportos do interior de São Paulo que foram arrematados por R$ 14,7 milhões, com o prazo de concessão de trinta anos. Em março deste ano, o prefeito Marcus Soliva (PSC) anunciou que a cidade havia recebido a autorização do Governo do Estado para o processo de desestatização do local, passo que permitiu a privatização.

A B3 recebeu propostas das empresas interessadas até às 14h da quinta-feira (15) e o leilão foi iniciado às 15h. Além do prefeito, acompanharam o evento o vice-prefeito Régis Yasumura (PL), o secretário de Governo, João Vaz, e o secretário de Comércio e Indústria, Rodrigo Muassab. O leilão foi transmitido ao vivo pelas redes sociais do Governo de São Paulo e da B3.

Durante o evento, a Prefeitura de Guaratinguetá publicou um vídeo destacando a importância do processo para a cidade e para a região do Vale do Paraíba. “É um momento muito importante para a história do nosso munícipio. Daqui pra frente, essa privatização e a criação do aeroporto, criará um novo cenário turístico religioso e de geração de renda para Guaratinguetá”, frisou o secretário de Governo, João Vaz.

Entrada do aeroporto Edu Chaves foco de leilão nesta semana (Foto: Fabiana Cugolo)

Ao lado do secretário de Turismo do Estado Vinicius Lummertz, e dos novos gestores do Edu Chaves, Soliva enfatizou que a privatização é mais um passo para alavancar a economia. “Quem vem por via área fica mais de um dia na região, tem várias oportunidades ali. O turismo da fé como ‘guarda-chuva’ principal, o norte desse turista. Todas as portas estão abertas. Estamos próximos do litoral, e de cidades como Campos do Jordão”, salientou.

O Consórcio NW e Voa SE vai administrar, além de Guaratinguetá, os aeroportos de Ribeirão Preto, Bauru-Arealva, Marília, Araraquara, São Carlos, Sorocaba, Franca, Avaré-Arandu, Registro e São Manuel.

De acordo com o Estado, a expectativa é de que R$ 266,5 milhões sejam investidos em todo o bloco ao longo do contrato, com foco em ampliação de capacidade, melhoria da operação e adequação à regulação. Nos primeiros quatro anos, a previsão é de os investimentos cheguem a R$ 75,5 milhões.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?