Guará aprova novas regras para táxis

Projeto com mudanças, que conta com apoio do setor, aguarda sanção do prefeito

Taxistas da região central de Guará (Praça da Catedral) deverão se adequar às novas exigências do Executivo, aprovadas pela Câmara (Arquivo Atos)
Taxistas da região central de Guará (Praça da Catedral) deverão se adequar às novas exigências do Executivo, aprovadas pela Câmara (Arquivo Atos)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

Os vereadores de Guaratinguetá aprovaram alterações na regulamentação para taxistas da cidade. A padronização dos táxis entra em vigor neste ano, e os veículos terão de seguir um modelo padrão de cor e itens de direção, além de questões ligadas ao método de trabalho.
Os táxis de Guaratinguetá terão a cor prata e quatro portas, mas a principal novidade não é estética. O conforto e a segurança do usuário serão prioridade, e por isso, os veículos precisarão ter direção hidráulica, ar condicionado e freios ABS. Também serão inseridos pontos rotativos na cidade, além de duas vagas para táxis especiais, utilizados no transporte de deficientes físicos.
Na última semana, a Câmara de Guaratinguetá aprovou a alteração de emendas do projeto inicial. Entre as principais mudanças, estão questões pertinentes à categoria e ao usuário do serviço.
Na proposta inicial, o número de táxis estava limitado a um carro para cada seiscentos eleitores. Agora, o projeto é de um veículo para cada mil habitantes.
Os profissionais foram informados que não podem transferir a licença de taxista para outra pessoa. Somente será permitida a transferência em caso de doença ou incapacidade de trabalho que sejam devidamente comprovadas. A vaga retornará para a administração municipal em caso de incapacidade contínua ou morte do condutor. A medida evita que a vaga se torne eterna.
Ainda foi anunciada a criação de duas novas opções para a Bandeira 2. O método já é utilizado diariamente, sempre entre às 6h e 20h, além de toda a extensão de domingo. As novas bandeiradas serão cobradas durante todo o mês de dezembro e quando houver reajuste no preço do combustível igual ou superior a 10%.
Outras emendas acabaram rejeitadas, como o número de identidade do táxi e o nome do ponto referente, que deviam ser informados visualmente no veículo. Ainda de acordo com o documento, o taxista só poderia ligar o taxímetro no ponto de partida do passageiro. Ambas as emendas foram derrubadas.
“Se o taxista tem um ponto na região central e precisa pegar um passageiro nos Três Garças e levá-lo ao Paturi, ele só poderia ligar o aparelho nos Três Garças. Sendo que o Paturi é um bairro próximo, seria prejudicial ao profissional. Por isso reformulamos a emenda e permitimos que haja livre negociação com o usuário”, explicou Orville Teixeira (PV), sobre a questão do taxímetro.
Com a aprovação, o documento será encaminhado para sanção do prefeito Francisco Carlos Moreira (PSDB). Se houver uma negativa por parte do chefe do Executivo, a Câmara tem o poder de derrubar o veto e encerrar o projeto com as alterações divulgadas. “Acredito que mesmo com o possível veto do prefeito, a Câmara chega hoje à redação final, atendendo a cidade e a demanda da população”, contou o presidente da Câmara, Marcelo Coutinho, o Celão (PSD).
Categoria – Tanto a padronização como as alterações realizadas pela Câmara agradaram os taxistas. “As alterações foram boas. Tem muita coisa que é necessária para proteger a nossa família. O que era possível, eles fizeram. No projeto inicial tinham alguns pontos que precisam de ajustes, e a Câmara conseguiu acertar”, comentou o taxista Alan Marques Ribeiro.
Ainda não há projeção de quando a padronização entrará em vigor, já que a proposta ainda tramita pela Câmara e pelo Executivo. A expectativa é de que o projeto seja concluído dentro do período de dez dias.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?