Fiscalização flagra cinquenta estabelecimentos em irregularidades e lacra seis lojas em Guará

Setor atua diariamente para fiscalizar cumprimento de decretos contra Covid-19; mercados são advertidos por falta de máscaras

Praça Conselheiro Rodrigues Alves em Guará; cinquenta estabelecimentos irregulares foram flagrados (Foto: Marcelo A. dos Santos)

Leandro Oliveira
Guaratinguetá

Aproximadamente cinquenta estabelecimentos comerciais de Guaratinguetá foram flagrados descumprindo as determinações do decreto que proíbe a abertura de lojas e comércios não essenciais. Apenas na última ronda feita pelo setor de fiscalização, na noite de quarta-feira, oito proprietários foram notificados.

As determinações impõem a proibição do funcionamento de alguns estabelecimentos desde o dia 22 de março. A medida acompanha o decreto publicado na mesma data pelo Governo do Estado de São Paulo de quarentena de duas semanas. O prazo foi estendido para mais duas semanas na última terça. Em Guaratinguetá, seis lojas foram lacradas pelo setor de fiscalização do município.

“Só na ronda de ontem foram oito estabelecimentos, quanto para notificações como para advertências. Ainda há locais que insistem em permanecer abertos, considerando que bar não pode estar aberto. São quase 50 estabelecimentos notificados e advertidos. A partir da semana que vem entra a questão de multas e outras providências”, afirmou o secretário de Segurança Pública, Marco Antônio ‘Major Oliveira’.

As lojas ou estabelecimentos fechados temporariamente só poderão ser reabertos para atendimentos ao público após o período de quarentena. O secretário chamou a atenção para pontos comerciais lacrados. “Já tiveram, desde o início, seis estabelecimentos que precisaram baixar suas portas e não poderão abrir até maio para atendimento ao público”.

As rondas de fiscalizações são feitas por funcionários da secretaria de Segurança, Vigilância Sanitária e policiais militares. Nesta semana, bairros como Jardim do Vale, João Daniel, Pedregulho, Village Santana e Santa Luzia foram vistoriados. Um dos decretos publicados pelo prefeito Marcus Soliva (PSC), do uso obrigatório de máscaras em supermercados, farmácias, padarias e outros estabelecimentos essenciais, não tem sido cumprido.

“Infelizmente verificamos em alguns supermercados muitas pessoas não utilizando as máscaras. Através do novo decreto há a obrigação de utilização. Vários estabelecimentos receberam a notificação e a partir do próximo dia 13 eles podem receber multa e outras providências, podendo até a cassação do alvará de licenciamento”.

As multas passarão a ser aplicadas nos estabelecimentos a partir da próxima segunda-feira (13). Os valores oscilam de R$ 500 a R$ 8 mil, entre estabelecimentos pequenos, médios ou grandes.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?