Cruzeiro ganha aval do Estado para construção de estação de tratamento de esgoto

Projeção na idade deve ter ao final do projeto 90% do esgoto tratado; cenário atual é de apenas 3%

Projeto da ETE Central divulgado em vídeo da Prefeitura; investimento de R$ 12 milhões (Foto: Reprodução PMC)

Thales Siqueira
Cruzeiro 

A Prefeitura de Cruzeiro anunciou, nesta quarta-feira (17), que o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Cruzeiro) obteve todas as licenças ambientais necessárias, junto à Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), para iniciar a obra da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Central, que será responsável por tratar 90% do esgoto do município.

A obra deverá ser iniciada no próximo dia 29. A expectativa é de conclusão para no máximo 2023. O complexo será construído na região central, próximo ao antigo Café Solúvel, às margens do Rio Paraíba do Sul. O intuito é de não interferir na APP (Área de Preservação Permanente) atendendo todos os padrões exigidos pela Cetesb e demais órgãos responsáveis.

As tratativas com o Governo do Estado para a liberação da construção da ETE tiveram início em junho de 2019. Na última semana, após uma reunião com o secretário estadual de Meio Ambiente e Infraestrutura, Marcos Penido, o projeto havia entrado em fase final de análise.

O complexo terá aproximadamente 15 mil m² e vai contar com sistema de tratamento de esgoto, prédio administrativo e laboratorial, viveiro, horta, sala de ambientalização e área arborizada para minimizar os impactos ao meio ambiente. “A partir do dia 29 de março iniciaremos a realização de um sonho da cidade de Cruzeiro, que é tratar o esgoto. É mais um compromisso do nosso mandato, da nossa administração, da nossa autarquia Saae, assumido lá no início de 2017 e, se Deus quiser até o final de 2024 nós teremos praticamente a totalidade do esgoto do município tratado”, frisou o prefeito Thales Gabriel Fonseca (PSD).

A obra, que tem um prazo de 18 meses, será dividida em duas etapas. Orçado em cerca de R$ 12 milhões, a primeira fase será custeada pelo Saae, com 45% do esgoto coletado já tratado. Já a segunda parte do projeto será financiada pelo Estado, junto ao Fehidro (Fundo Estadual de Recursos Hídricos), que aprovou o financiamento de aproximadamente R$ 9,5 milhões.

O valor a ser utilizado na construção da segunda fase terá contrapartida da autarquia em R$ 504 mil, concluindo o tratamento dos outros 45% do esgoto.

Cenário atual – De acordo com o Saae, atualmente Cruzeiro apresenta quatro ETE`s de pequeno porte, que tratam apenas 3% do esgoto do município. Por não apresentar uma estrutura adequada em saneamento básico, cerca de 97% dos resíduos sem tratamento são lançados no córrego da Barrinha, um dos afluentes do Rio Paraíba do Sul.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?