Água de arrozal invade ruas e casas do Santa Edwirges em Aparecida

Moradores do bairro enfrentam dificuldades para sair de casa; problema seria causado por furo em canaleta que irriga plantação

Rafael Rodrigues  – Aparecida

 

Algumas ruas e casas do bairro Santa Edwirges em Aparecida estão sendo invadidas pela água que seria utilizada para irrigar uma plantação de arroz nas proximidades. A canaleta que leva a água para o local está furada e o problema vem tirando o sossego de dezenas de pessoas que encontram dificuldades para entrar e sair de casa.

Para o vendedor Adriano César Muller, a dificuldade do dia começa logo cedo, quando precisa sair para ir trabalhar. “A situação em que vivemos é bem complicada porque não conseguimos nem chegar ou sair de casa devido à quantidade de água que fica acumulada na rua e nos terrenos”.

Moradores usaram entulhos na tentativa de criar uma “ponte” e evitar o contato com a água, mas atravessar sem cair na água é um desafio, principalmente para as crianças. “Meu filho estava indo para a escola, escorregou e teve que voltar pra casa para tomar banho porque caiu na poça de água”, contou a dona de casa Valéria Garcia Menezes.

Segundo os moradores, o problema começou há cerca de dois meses, com apenas algumas poças de água, que se transformaram em “piscinas”.

A dona de casa Cacilda Rosa dos Santos está preocupada que a água afete a estrutura da casa dela. “Eu ainda nem mudei para essa casa e já estou com medo dela desabar. É muita água que brota do chão e inunda tudo por aqui”, revelou.

A moradora Rita de Cássia disse que ligou para a Prefeitura para que eles pudessem resolver o problema, mas foi informada que a situação nada tem a ver com a Administração. “Pra eu entrar na minha casa eu tenho muito trabalho, e agora o meu quintal está sendo invadido pela água. Ligamos para a Prefeitura e eles disseram que não poderiam fazer nada”.

Prefeitura – Apesar de pagarem impostos, o bairro Santa Edwirges é considerado irregular. Autoridades municipais tentam, através do programa Cidade Legal, regularizar a situação dos moradores, para que obras de infraestrutura possam ser realizadas no local.

A reportagem do Jornal Atos não encontrou ninguém responsável na secretaria de Obras que pudesse responder há estes questionamentos.

O diretor do SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto), Paulo Piza, procurado para esclarecer o problema no cano de água, infomou que a questão é de responsabilidade do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) do estado.

Daee – o diretor regional do Daee, Nazareno Mostarda Neto, disse que só ficou sabendo do problema na última quinta-feira, e que vai se reunir, o mais rápido possível, com os moradores para resolver a situação.

“Estou me colocando à disposição dos moradores, e também nossa equipe técnica para vermos qual a solução mais rápida e prática para atender os interessados”, afirmou.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?