Mãe denuncia tortura de criança em escola de São Sebastião

De acordo com relato, menina de nove anos foi cortada e queimada por outros estudantes; Prefeitura e Polícia Civil apuram o caso

Distrito da Polícia Civil em São Sebastião; criança é torturada por alunas em escola municipal (Foto: Reprodução GCM)

Da Redação
São Sebastião

Uma moradora de São Sebastião registrou um boletim de ocorrência na última quarta-feira (10) denunciando que a filha, de apenas nove anos, foi torturada por um grupo de alunas em uma escola municipal da cidade litorânea. Além de cortes causados por estilete, a mãe afirmou que a criança sofreu queimaduras provocadas por isqueiro.

Através de seu perfil no Facebook, a denunciante revelou que a filha viveu, no último dia 3, momentos de terror no banheiro da escola municipal Professora Guiomar Aparecida da Conceição Sousa, que fica no bairro Boiçucanga. Segundo a mãe, ela registrou o boletim de ocorrência na Polícia Civil somente na última quarta-feira, pois até então a filha não havia relatado as agressões e estava usando roupas largas para esconder os machucados.

De acordo com a moradora da cidade praiana, a menina contou que ao entrar no banheiro do colégio, durante o recreio, foi seguida por outras quatro alunas, um pouco mais velhas do que ela. Na sequência, o quarteto trancou a porta e começou a torturá-la. Além de ter um pedaço do cabelo cortado, a criança sofreu no braço cortes de estilete e queimaduras provocadas por um isqueiro.

Segundo a denunciante, o grupo no último dia 6 ameaçou a menina, afirmando que “faria pior” caso ela contasse à mãe o que havia acontecido. A filha desabafou ainda que estava sendo perseguida, pois uma das agressoras tinha ciúmes dela.

Em nota oficial à imprensa regional, a Prefeitura de São Sebastião informou que abriu um processo administrativo para apurar o caso. Além de promover uma investigação interna na escola municipal, o Executivo afirmou que comunicará os órgãos de proteção aos direitos da criança e do adolescente, para que sejam tomadas as medidas cíveis e criminais cabíveis.

A Polícia Civil de São Sebastião abriu um inquérito para apurar o caso, registrado no boletim de ocorrência como suspeita de ato infracional por ameaça e lesão corporal.

Compartilhar é se importar!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?