Universidades de Lorena ampliam doação de máscaras para hospitais e entidades da região

Doação de R$ 50 mil de empresa geradora de energia e novos equipamentos geram aumento de 400% na produção do material; projeto prevê álcool em gel e reutilização de plástico

O professor Eduardo Ferro ao lado de universitários que participam de trabalho para doação de máscaras (Foto: Divulgação Eduardo Ferro)

Rafaela Lourenço
Lorena

Apoios da iniciativa privada e da sociedade civil têm reforçado as ações de combate à pandemia de Covid-19. Em Lorena, o projeto Smart Society Living Lab da EEL USP (Escola de Engenharia de Lorena), Unifatea (Centro Universitário Teresa D’Ávila) e Serra Dourada, que produz e doa máscaras de proteção, recebeu R$ 50 mil para aquisição de materiais e equipamentos.

O grupo deve iniciar a produção de álcool em gel e gerar menos resíduos ao meio ambiente. A equipe de aproximadamente quinze voluntários, entre professores, universitários e funcionários já produziram cerca de mil máscaras em 3D, com uma jornada de oito horas de trabalho. As unidades foram doaram para hospitais de Lorena e Roseira e entidades sociais de Guaratinguetá, Canas, Piquete, Guaratinguetá e Cruzeiro.

Com a doação do Instituto EDP, de R$ 50 mil, o projeto poderá aumentar a produção de duas mil para dez mil máscaras e beneficiar mais pessoas. Segundo a EDP, o repasse será investido na compra de novas impressoras 3D, máquina de corte a laser, máquina de costura e outros insumos para contribuir na produção de protetores faciais, máscaras de tecido e outros acessórios que estão sendo aprimorados em pesquisa de professores e alunos. O idealizador do projeto, o professor doutor da USP, Eduardo Ferro, salientou que o investimento possibilitará ainda a compra de equipamentos para reutilizar o plástico e gerar menos resíduos. “Quando imprimimos na impressora 3D a gente gera resíduo, aí estou negociando uma máquina para reciclar plástico e se transformar de novo em filamento”.

Ferro explicou que boa parte dos novos materiais já chegou e que além da doação da EDP, empresas e redes globais como Technoval e Rotary doaram uma máquina de corte a laser e uma impressora 3D, respectivamente. Para iniciar a produção do álcool em gel, Ferro destacou que falta apenas a chegada de dois insumos. “Já chegaram os potes, tampinhas e o álcool puro.
Já compramos e a Vigilância (Sanitária) já fez a vistoria. Até semana que vem temos uma entrega para o projeto Criança Feliz, ai vão os kits para as famílias”.

O projeto social de alunos da USP, que faz parte de uma das frentes neste momento de pandemia, arrecadou alimentos para serem doados com máscaras, protetores faciais e o álcool em gel para famílias já atendidas, consideradas de vulnerabilidade. Para o idealizador do Smart Society, as dez mil máscaras são apenas uma das vertentes de apoio ao combate ao novo coronavírus. Outras ações, projetos e pesquisas ainda estão em estudo para envolver mais as universidades em benefícios à população.

Os interessados em conhecer melhor o projeto ou fazer doações devem acessar o site oficial, que segue em atualização, lab4society.com

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?