Prefeituras monitoram possíveis infectados em velório em Cruzeiro

Cruzeiro apura falha em atestado de óbito de Zé João; população teme contágio de novo coronavírus

Santa Casa de Cruzeiro; hospital investiga possíveis infectados em velório (Foto: Rafaela Lourenço)

Lucas Barbosa
RMVale

Após participarem na última semana do velório de um idoso diagnosticado posteriormente com Covid-19, mais de cem moradores de Lavrinhas são monitorados pela Vigilância Epidemiológica por suspeita de terem contraído a doença. Com a informação de que o homem de 85 não tinha infecção por meio do novo coronavírus, o sepultamento não respeitou as medidas de segurança recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

O grupo, que não havia sido informado que o finado poderia estar infectado, deverá permanecer em isolamento social por no mínimo duas semanas.

A Prefeitura de Lavrinhas publicou na manhã do último domingo um comunicado em sua página oficial na rede social Facebook, revelando que monitora 23 familiares que participaram da despedida de José João da Silva, que tinha 85 anos, realizado no último dia 16 no velório da funerária Santa Clara em Cruzeiro. O idoso era proprietário do tradicional espaço de lazer “Rancho do Zé João”, em Lavrinhas.

Além de ressaltar que os parentes do empresário permanecerão em isolamento domiciliar por no mínimo 14 dias, a nota oficial solicita que os demais moradores de Lavrinhas que acompanharam o velório também permaneçam em suas casas e que entrem em contato com a secretaria de Saúde caso sintam algum sintoma da Covid-19, como febre e dificuldades em respirar, através do telefone (12) 3146-1202. Já os moradores de Cruzeiro, que participaram da despedida, devem contatar a Vigilância Epidemiológica pelo 0800 878 9628.

Procurada pela reportagem do Jornal Atos, a Prefeitura de Cruzeiro revelou que até a tarde desta segunda-feira (20) 78 moradores entraram em contato pelo call center, sendo orientados também a permanecerem em isolamento domiciliar.

Comandado pelo prefeito Thales Gabriel Fonseca (SD), o Executivo informou que determinou a abertura de uma sindicância para averiguar o que levou a Santa Casa, que está sob intervenção municipal, emitir o atestado de óbito do idoso sem a descrição de caso suspeito de Covid-19.

A ausência da informação levou a funerária Santa Clara a não destinar um caixão lacrado ao finado e promover seu velório em cerimônia aberta ao público no último dia 16. Segundo o Ministério da Saúde, não são recomendadas as realizações de funerais de pacientes confirmados ou suspeitos de Covid-19 devido à aglomeração de pessoas, propiciando o contágio da doença.

Pouco mais de três horas após o início do velório do empresário, a funerária e a família de Zé João receberam a informação de que ele poderia ter sido vítima do coronavírus. Na manhã do dia seguinte, após o enterro do idoso, a direção da Santa Rita registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil para que a Santa Casa apresentasse a real causa da morte de Zé João. Já no início da tarde, a funerária foi oficialmente notificada sobre o resultado positivo para Covid-19.

De acordo com a Prefeitura, o paciente deu entrada na Santa Casa no último dia 9, com sintomas suspeitos de Covid-19. Na sequência, ele foi submetido a um exame tipo teste rápido (IGG/IGM), em laboratório particular externo, que teve resultado negativo para a doença, e que ainda assim, o paciente foi mantido dentro do protocolo do Ministério da Saúde para casos suspeitos. Porém, durante o sepultamento do idoso, o hospital teria recebido o laudo oficial do laboratório credenciado pelo Ministério da Saúde, com o resultado positivo para a doença.

Em um vídeo publicado na página oficial do “Rancho do Zé João”, o genro do idoso, Paulo Santos, demonstrou sua indignação diante o ocorrido. “Além de sermos obrigados a lidar com a dor do luto, temos que ficar confinados em casa por causa dessa situação. Queremos deixar claro que realizamos o velório aberto porque até então não havíamos sido informados sobre esta suspeita de coronavírus. Queremos que a verdade apareça e o responsáveis respondam por esta falha, já que infelizmente não foram seguidos os protocolos adequados de segurança”.

Enquanto a morte de Zé João é o único caso confirmado de coronavírus em Lavrinhas, Cruzeiro registra dois óbitos e três moradores infectados pelo Covid-19.

Além de uma morte, a cidade tem outros 24 casos suspeitos, aguardando resultados de exames do Instituto Adolfo Lutz.

 

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?