Para evitar superlotação e manter ambiente, Ubatuba limita visitantes na Ilha das Couves

Regras de acesso buscam conter degradação ambiental; medida atende exigência do Estado e MP

Área de maior atenção em Ubatuba, Ilha das Couves passa a ter limitação de visitantes; medidas tentam impedir degradação (Foto: Divulgação PMU)

Lucas Barbosa
Ubatuba

Atendendo uma determinação do Estado para a redução de danos ambientais na Ilha das Couves, a Prefeitura de Ubatuba anunciou na última semana novas normas de acesso ao ponto turístico. Além das opções e horários de transporte, as regras estabelecem que apenas 531 pessoas visitem o local diariamente durante o Verão.

Considerada até o início de 2017 como um dos atrativos naturais mais “escondidos” e preservados de Ubatuba, a Ilha das Couves começou no ano seguinte a receber um grande fluxo de turistas após artistas e influenciadores digitais publicarem fotos do local. Além de superlotações, que chegavam a mais de dois mil visitantes simultâneos, o ponto passou a registrar um crescimento no descarte de resíduos, principalmente objetos de plástico e alumínio, afetando a fauna e flora.

Após denúncias sobre a degradação ambiental e a falta de controle sobre as embarcações que transportavam os turistas, o MPF (Ministério Público Federal) analisou o caso, solicitando que o Governo do Estado tomasse medidas para reverter o cenário.

Através da Fundação para a Conservação e Produção Florestal, o Estado determinou no último dia 26 que a Prefeitura de Ubatuba altere e fiscalize as regras de acesso à Ilha das Couves. O Município, comandado pelo prefeito Délcio Sato (PSD), desde o início de 2019 já promovia ações de conscientização ambiental de turistas e reuniões com moradores da comunidade caiçara Picinguaba, que fica próxima à Ilha das Couves.

No último dia 3, a Prefeitura revelou as novas regras, que entraram em vigor no dia seguinte e que valerão até o fim de março. De acordo com a secretaria de Meio Ambiente de Ubatuba, a visitação no ponto turístico foi limitada a 177 pessoas por vez, em faixas de horário (das 8h às 11h, das 11h às 14h e das 14h às 17h), somando um total de 531 visitantes por dia. Cada grupo de turistas poderá permanecer três horas no local.
O transporte dos visitantes, das 8h às 14h, poderá ser realizado apenas por barqueiros da comunidade da Picinguaba por meio de barcos de até oito metros.

No período das 14h às 17h o serviço poderá também ser executado pelos barqueiros das comunidades do Almada, Estaleiro e Ubatumirim, limitado ao número de 108 passageiros, e das 14h às 17h, o transporte será liberado para escunas devidamente credenciadas, com no máximo 49 passageiros. No mesmo horário também terão autorização para o trabalho lanchas com capacidade de vinte passageiros cada.

A reportagem do Jornal Atos solicitou à secretaria de Comunicação da Prefeitura de Ubatuba o agendamento de uma entrevista sobre o tema, mas o pedido não foi atendido até o fechamento desta edição.

Compartilhar é se importar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Como posso te ajudar?